Anuário do Agro Capixaba

Piscicultura capixaba cresce com projetos inovadores

por Rosimeri Ronquetti

em 17/03/2023 às 12h15

2 min de leitura

Piscicultura capixaba cresce com projetos inovadores

FOTO WENDERSON ARAUJO/TRILUX

Em 2021, o Espírito Santo produziu 4.717 toneladas de peixe, sendo a tilápia líder absoluta na puxada da rede, com 99,12% desse total. O levantamento é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), elaborado pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), que aponta ainda Linhares como o maior produtor da espécie, com 46,43% de toda a produção estadual. 

Para disseminar e alavancar a piscicultura capixaba, a Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag) está desenvolvendo alguns projetos em parceria com outros órgãos estaduais e  os municípios. Um deles é o grupo de trabalho formado pela Seag, Incaper, Seama, Iema, Idaf e Agerh para um estudo do licenciamento ambiental da piscicultura. 

“Vamos rever o formato do licenciamento ambiental para a piscicultura com o objetivo de desburocratizar o processo de obtenção de licença e, assim, fomentar a produção no Espírito Santo”, explica José Alejandro Garcia Prado, gerente de Pesca, Aquicultura e Produção Animal da Seag. 

Outro projeto em andamento é o “Aquicultura Familiar”, desenvolvido pela Seag em parceria com o Incaper e a Prefeitura de Montanha. Estão sendo implantados tanques redes e piers flutuantes em quatro represas do município, no Extremo Norte. Oito famílias, todas de assentamentos, estão sendo beneficiadas.

“É um projeto piloto que pretendemos levar para outros municípios. O objetivo é incentivar a piscicultura e a aquicultura familiar com ênfase na gestão feminina, para favorecer a inserção da mulher na atividade. É uma política pública que favorece a mulher”, pontua.

Com uma piscicultura incipiente, se comparada com outros Estados, Alejandro diz que “a equipe que atua no setor ainda é pequena e que precisa de mais gente trabalhando com aquicultura, com assistência técnica e extensão aquícola”.  

Para 2023, segundo o gerente, os planos são ampliar a aquicultura familiar e criar o programa de fortalecimento da aquicultura capixaba.

CLIQUE AQUI E ACESSE O ANUÁRIO DO AGRONEGÓCIO CAPIXABA

DA MESMA SÉRIE

- Ácaros e substrato: pesquisas vão alavancar a produção de morango- Desafios na produção de gengibre no ES: perspectivas e soluções- Criação de camarão da Malásia no ES: desafios e potencialidades- Aracruz se consolida como maior produtor de mel do Espírito Santo- Baunilha: uma fonte alternativa de renda para agricultura familiar- Cultivo de pimenta-do-reino no Espírito Santo: crescimento e desafios- Produção de tomate em estufas aumenta e traz benefícios no ES- Desafios e avanços na produção de aves e ovos no Espírito Santo

Clique aqui e receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro do que acontece no agronegócio!