pube
Geral

Projeto para quem tem sede

Tudo começou em 2011 quando Deydson Garcia Rodrigues e Bruno Rodrigues visitaram Moçambique em uma viagem missionária.

por Redação Conexão Safra

em 25/02/2015 às 0h00

3 min de leitura

Redação


Tudo começou em 2011 quando Deydson Garcia Rodrigues e Bruno Rodrigues visitaram Moçambique em uma viagem missionária. Lá eles conheceram um trabalho de construção de poços em Idugo, uma ilha habitada por pessoas carentes. Em pouco tempo, de volta ao Brasil, surgiu o projeto “Não a Nós ”, criado para levar água para os que têm sede.


“Ficamos impressionados com essa maneira tão prática de manifestar Jesus para as pessoas. Então, começamos a ouvir do Senhor algumas coisas relacionadas a esse trabalho. Ele nos queria envolvidos nisso. Assim, com a direção do Espírito Santo, começamos a pensar em estratégias para colocarmos esse plano em ação ”, diz Deydson Garcia.

pube



Ele lembra que construir um poço custava R$ 5000,00. Então, junto com outros apoiadores, eles gravaram um CD simples, com músicas de própria autoria, e começaram a vender para levantar recursos para aquilo que eles chamam de “obra de Deus ”. Foi quando surgiu concretamente o “Não a Nós ”.


O projeto conta com a colaboração de diversos apoiadores, espalhados por várias regiões do Brasil e do mundo. “Temos visto a necessidade de envolver e contar com a participação da Igreja para o desenvolvimento do projeto, afinal de contas, esse é um projeto da Igreja de Cristo ”, disse. Há pessoas que trabalham na administração e execução, pessoas que contribuem financeiramente e fisicamente, e pessoas que apenas intercedem.


Baixo Custo

Em 2012, surgiu Pedro Ribeiro e Rogério Moreira para trabalharem com poços de baixo custo. Os dois conheceram uma técnica simples, barata e sustentável. “Com esse conhecimento em mãos, hoje podemos construir um poço na ilha de Inhansunnge com R$ 350,00. Conseguimos abençoar 14 vezes mais aquele povo, dando água para quem tem sede e manifestando a vida de Cristo naquele lugar ”, diz Deydson.


Algumas ilhas de Moçambique têm grande necessidade de água potável. “Além de irmos e construir os poços, Deus nos direcionou a ensinarmos essa técnica de perfuração para alguns irmãos moçambicanos, para que eles também construam e realizem a manutenção ”.


Agora, além de poços, o objetivo do projeto é trabalhar com educação em um futuro não muito distante. “Acreditamos que será um outro braço do “Não a Nós ”, muito importante para essas comunidades moçambicanas. No próximo ano eu e minha esposa Isabella iremos morar em Moçambique para levar a verdadeira água para quem tem sede ”, disse Deydson.


Serviço

Para agendar uma visita entre em contato pelo email naoanosprojeto@gmail.com e visite o site www.naoanos.com para adquirir CDs e camisas.””

pube