pube
Geral

Projeto 120 Mais Leite muda a vida do produtor rural

Implantado em 2004, o Projeto 120 - Mais Leite atende 560 produtores e espera atender mais 300 até o fim deste ano.

por Redação Conexão Safra

em 04/10/2013 às 0h00

4 min de leitura


A atividade leiteira é uma das principais fontes de renda dos produtores do sul do estado e, pensando nisso, a Selita implantou, em 2004, através de uma parceria com o Sebrae, um projeto que se tornou o mais importante da Cooperativa, no que diz respeito ao produtor rural: o Projeto 120 &ndash, Mais Leite.


Com esse projeto, a Selita oferece oportunidade a todos os pequenos produtores de leite associados, para que saiam do estágio atual de produção e avancem na busca da melhoria do bem estar e da qualidade de vida para suas famílias e para as suas comunidades. “Começamos em 2004 com o projeto Educampo, depois fomos para o Balde Cheio e em 2008, após uma série de problemas, passamos para o Mais Leite. Em 2010, já fi rme com a parceria do Sebrae, ele foi incrementado ”, disse o coordenador de Assistência ao Cooperado da Selita, Henrique Passini.


pube

O Projeto 120 – Mais Leite tem o objetivo de fazer com que o cooperado produza mais e gaste menos com a produção de leite. Hoje, a meta inicial já foi batida, que era de atender 400 produtores até 2012. Ao total, 560 cooperados são atendidos e segundo Henrique, até o fi m do ano serão disponibilizadas outras 300 vagas.


“Já nos reunimos e estamos preparando um plano de ação para aumentar mais 300 vagas até o fi m de ano. O projeto está em fase de consolidação. Os produtores estão empenhados e os resultados estão aparecendo. Com isso, a Selita aumentou a captação de leite no inverno. Isso nunca aconteceu antes ”, comentou Passini. De acordo com o coordenador, o projeto tomou a forma da verdadeira extensão rural, que vai além da aplicação de técnicas de produção e anotações de informações, que muitas vezes não fazem sentido para o produtor, ele vem se preocupar com a auto-estima e o futuro das famílias assistidas.


“Os produtores de toda a área de captação de leite da Selita já são atendidos. Temos núcleos em todos os municípios de que a Cooperativa capta leite e também em cidades de Minas Gerais. Para atender esses produtores, disponibilizamos 30 técnicos ”, explicou.


O projeto é um planejamento de ações, opções de caminhos viáveis de realizações e cobrança de resultados. “Os produtores estão animados e já notaram que esse é o caminho. O projeto melhora a fi delização e o aumento de renda para o cooperado. A Selita está cumprindo a parte social e também está recebendo mais leite na época que mais precisa e com isso, a Cooperativa tem a possibilidade de lançar novos produtos no mercado ”, ressaltou Henrique.


O coordenador explicou que o projeto é barato, mas não é gratuito. “O projeto é altamente subsidiado pela Cooperativa. Não é caro para o produtor pagar de R$ 30,00 por mês pela assistência e R$ 30,00 pela visita do veterinário. Hoje, 70% do valor pago é subsidiado pelo Sebrae e 30% pela Selita e outros parceiros ”, continuou.


Para completar, Henrique frisou que os produtores estão tendo a oportunidade de mudar de vida. “Nunca a Cooperativa fez tanto para o cooperado como nessa gestão. Esse programa é a principal ferramenta para o produtor mudar a vida, evoluir a produção e melhorar a qualidade de vida. O programa é social e econômico ”, completou Passini.



Parceria que rende bons resultados


De acordo com o analista técnico da Unidade de Atendimento ao Agronegócio (UAA), Th iago Martins Costa, o Sebrae trabalha com a inteligência do agronegócio. A ideia a todo o momento é que o pequeno produtor tenha condições necessárias, tecnologias de manejo, faturamento e rentabilidade. Para isso, o Sebrae dá a inteligência de gestão ”, comentou sobre a parceria do Sebrae com a Selita, na implantação do Projeto 120 &ndash, Mais Leite.


pube