Geral

Produtores de banana são orientados sobre ocorrência de sigatoka negra no Espírito Santo

O Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf) deu início...

por Redação Conexão Safra

em 30/03/2016 às 0h00

2 min de leitura

pube

O Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf) deu início, nessa terça-feira (29), a uma série de encontros para debater a ocorrência da sigatoka negra da bananeira no Estado e a implantação de sistema de mitigação de riscos. As primeiras reuniões foram realizadas em Marilândia, pela manhã, e em Linhares, à tarde, com produtores e responsáveis técnicos da região.

A ocorrência de sigatoka negra foi registrada em propriedades de São Mateus, Pinheiros e Linhares. Com isso, o Ministério da Agricultura já sinalizou que deverá revogar a Instrução Normativa (IN nº 64, de 21 de novembro de 2006), que reconhece o Espírito Santo como área livre para a doença.

O Governo do Espírito Santo, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura (Seag) e do Idaf, tem empenhado esforços para minimizar os efeitos da doença na economia local. Segundo o diretor-presidente do Idaf, Júnior Abreu, desde que foi levantada a suspeita da presença da praga no Estado, o Instituto tem acompanhado sistematicamente essas lavouras, com o apoio de órgãos parceiros, como o Instituto de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper). “Estamos em contato constante com o setor produtivo, explicando e orientando quanto aos procedimentos que serão necessários, para evitar que a doença seja disseminada e para garantir a manutenção das exportações. Além disso, definimos com o Ministério da Agricultura um período de transição para que os produtores possam se organizar, evitando grandes prejuízos ”, explica o diretor.

Com a revogação da IN nº 64, os produtores capixabas terão restrições para comercializar a banana para áreas livres da sigatoka ou sob sistema de mitigação de riscos, como Goiás, Bahia, São Paulo e Paraná e vários municípios de Minas Gerais e Mato Grosso. Atualmente, 80% da produção é destinada a outros Estados.

Na próxima semana, no dia 06 de abril, os encontros acontecerão em Iconha e Alfredo Chaves, conforme programação abaixo.

Programação:

Debate sobre ocorrência da sigatoka negra no ES
Data: 06 de abril (quarta-feira)

Iconha
Local: Salão da Terceira Idade (Rua Santo Antônio, nº 150 – atrás da Rodoviária)
Horário: 9 horas

Alfredo Chaves
Local: Auditório CRAS (Rua Antonio Cláudio Gaigher, nº 87, bairro Cajá)
Horário: 15 horas

pube