pube
Geral

Nelson Brisa, 90 anos de idade, Fazenda Cachoeira Alegre, Dores do Rio Preto (ES) Mora na propriedade há 78 anos

por Redação Conexão Safra

em 29/01/2015 às 0h00

3 min de leitura

pube
Aos inacreditáveis 90 anos de idade, Nelson Brisa reside há 78 anos na Fazenda Cachoeira Alegre, localidade rural do município de Dores do Rio Preto, na Região do Caparaó. Ele não se descuida e é pura alegria. A sua história de vida é como a de muitos outros produtores rurais, de muita luta. E foi na simplicidade da vida na roça que ele buscou o sustento da sua família. E uma família bem numerosa. São 11 filhos, 26 netos e 18 bisnetos.

Nelson nasceu entre Santa Clara e Faria Lemos, localidades de Porciúncula (RJ). Saiu do estado do Rio de Janeiro aos quatro anos de idade. Seu pai comprou uma fazenda em São Romão, em Guaçuí, localidade onde viveu até os 12 anos. Depois disso se mudou para a Fazenda Cachoeira Alegre, onde permanece até hoje. “Nem sei o que é mudança, gosto demais do meu lugar ”, comenta.

Brisa fala com carinho do pai, Virgílio, também produtor rural. Trabalhamos desde muito cedo na roça e aprendemos o valor do trabalho. Nelson relembra de um triste momento vivido pela família. “Meu pai era muito trabalhador. Ele morreu no meio da lavoura, de infarto ”, conta.

Fazenda Cachoeira Alegre
Nelson comenta como era a Fazenda Cachoeira Alegre há 78 anos. “Esse lugar era só cerrado, uma lavoura muito pequena e com muito mato ”. Formei lavouras de café arábica e sobrevivi mesmo com muita dificuldade, com os altos e baixos dos preços do café. Éramos 14 irmãos trabalhando nas lavouras. Depois da morte do meu pai, quando a terra foi dividida entre os herdeiros, toquei minha parte. Primeiro com pecuária leiteira. Aos poucos é que fui investindo no café.

A transição aconteceu quando um dos filhos de Nelson, Kleber, voltou para a roça, depois de 22 anos morando no Rio de Janeiro. “Aí decidimos investir tudo no café ”. Para a nova atividade, a família contou com o apoio de um
técnico da (então) Emater.


Religiosidade forte
Nelson Brisa conta que já passou por momentos muito delicados e que a sua grande fé o motivou a seguir. Passou por um grave problema no estômago. “Senti muita dor durante anos, a fé que tenho em Nossa Senhora Aparecida me curou ”.

Depois da sua total recuperação, há cerca de 15 anos, Brisa doou um terreno que fazia parte da sua propriedade para que fosse erguida a Igreja em honra a São Francisco de Assis. A construção da capela se deu com a colaboração de toda a comunidade por meio de várias ações, patrocínios e doações.

Anualmente, são realizadas duas grandes festas na localidade. Os eventos acontecem sempre em torno da igreja. “Passam por aqui mais de três mil pessoas em cada festa.
E todo mundo se diverte muito ”, declara.


Legendas
Segundo o nosso produtor destaque, Nelson, o apelido Brisa existe “por causa ” do nome da avó dele, a índia Brígida. Ele ainda afirma que a bela índia foi pega a laço.



Nelson Brisa, aos 90 anos de idade e com muita alegria, o forró é a trilha sonora da sua vida. E a sanfona, a companheira de sempre. Ele é pai dos cantores de forró Arnaldo e Arthur.




A Igreja de São Francisco de Assis. O terreno foi doado por Nelson Brisa e a construção feita com a colaboração de toda a comunidade.




A simplicidade da roça, os jacus rodeiam o nosso produtor destaque




Vitalidade aos 90 anos. O segredo: alegria, alegria e alegria.




Mãe de 11 filhos, avó de 26 netos e bisavó de 18 bisnetos, a sra. >>>>>>> teve uma longa trajetória ao lado de Nelson Brisa. Muito ativa aos 84 anos de idade, foi eleita a Miss Terceira Idade de Dores do Rio Preto de 2000.





Onde a família Brisa se reúne vira uma grande festa.

pube