pube
Geral

Cafés do Caparaó comercializados no leilão da Abic

por Redação Conexão Safra

em 25/01/2016 às 0h00

2 min de leitura

pube
O leilão dos 11 lotes finalistas do 12º Concurso Nacional Abic de Qualidade do Café comercializou 49 das 54 sacas ofertadas (91%), totalizando uma arrecadação no valor de R$ 64.212,16, e registrando uma média de lances de R$ 1.310,45 a saca.

Os resultados foram divulgados nesta quinta-feira (21) pela Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic). No pregão, realizado no período de 12 a 19 de janeiro, o preço mínimo de abertura foi de R$ 872,00 a saca, 50% acima da cotação da BMF/Bovespa, no dia 11 de janeiro, conforme estipulado pelo regulamento.

Estreante no leilão da Abic, a cafeteria capixaba Villa Januária, da região do Caparaó, arrematou uma saca do produtor José Alexandre Abreu de Lacerda, de Dores do Rio Preto, por R$ 1.200,00, e uma saca do microlote do produtor Miguel Messias, de Muniz Freire, por R$ 1.000,00, ambos da mesma região, no sul o Estado.

De acordo com a Q’Grader Cecília Nakao, a cafeteria, que funciona juntamente com uma pousada, em Dores do Rio Preto, na subida para o Pico da Bandeira, tem o objetivo de contribuir para o reconhecimento da Indicação Geográfica dos Cafés de Caparaó. Em breve, eles lançarão um site de venda de café torrado, o “Caparaó Coffee ”, e vão comercializar também os cafés adquiridos no leilão da Abic. Os cafés são torrados na própria cafeteria.

O grande destaque deste leilão foi o lance recorde dado pela Cooperativa dos Cafeicultores da Região de Pinhal (Coopinhal), que pagou R$ 10.020,16 pela saca de café, do produtor Paulo Rogério Marchi, de Serra Negra (SP). “Esse foi o maior valor de aquisição pago por uma saca de café entre todos os leilões dos concursos de qualidade realizados no Brasil em 2015 por diversas entidades e instituições ”, informou em comunicado o presidente em exercício da Abic, Ricardo de Sousa Silveira. O resultado completo do leilão pode ser acessado no portal da Abic (www.abic.com.br). ,

pube