pube
Geral

Coopeavi na contra mão da crise incentiva qualidade no café

As amostras classificadas para a fase final do concurso, em ambos Estados, foram conhecidos no dia da premiação

por Redação Conexão Safra

em 18/12/2013 às 0h00

3 min de leitura

Com expertise em promover cafés com qualidade diferenciada, os cooperados da Coopeavi mostraram mais uma vez que tem potencial para produzir mais e melhor com o passar dos anos. Dez cafeicultores, sendo cinco capixabas e cinco mineiros, levaram para casa o Prêmio Pio Corteletti – Arábica Cereja Descascado. Com a premiação, a Coopeavi chegou a pagar R$ 990 a saca de café arábica. Os vencedores foram conhecidos no dia 6 de dezembro em Afonso Cláudio (ES) e em Caratinga (MG), no dia 10.

Em meio a intensa crise que vive o mercado de café, a cooperativa promoveu a terceira edição do Concurso de Qualidade de Café Pio Corteletti, modalidade Café Arábica (Cereja Descascado), no Espírito Santo. Os cooperados de Minas Gerais ganharam uma etapa exclusiva do Prêmio. As amostras classificadas para a fase final do concurso, em ambos Estados, foram conhecidos no dia da premiação.

Os dez melhores cafés das duas etapas receberam notas acima de 85, ou seja, são considerados cafés gourmet. Devido essa qualidade elevada, os produtores desses grãos comercializaram o café com um ágio de R$30 por saca, além disso os cinco melhores de cada etapa (ES e MG) levaram para casa premiações de R$1.000 a R$4.000. Os valores pagos em cada saca de café, com a premiação, chegou ao valor de R$ 990.

O nível de qualidade dos cafés se eleva a cada edição do Prêmio. Em 2011, 27% dos cafés inscritos se classificaram para a final, em 2012 foram 36%, já em 2013, 58% dos café capixabas e 48% das amostras mineiras chegaram a fase final do Concurso. “Não há mágica. Trabalho, seriedade, profissionalismo e união, estes são os ingredientes ”, relata Argêo Uliana sobre o aumento da qualidade dos cafés. De acordo com ele, o resultado mostra que a Coopeavi está na contra mão da crise em direção a produção de café com qualidade.

“A Coopeavi nos ajuda porque leva informações ao campo e nos ensina os manejos corretos na prática, nós não sabíamos que nossos cafés, da região de Inhapim (MG), tinham potencial de qualidade, a surpresa foi muito grande em saber que nosso café é diferenciado ”, comentou Adalberto Ribeiro, produtor de café arábica.

O principal objetivo do concurso é premiar o produtor que investe em qualidade, incentivar esta prática com maior ênfase e promover a sustentabilidade da cafeicultura. “Esse Prêmio é um incentivo para continuar a produzir com qualidade ”, afirma o cafeicultor Erineu Stich, ganhador da etapa capixaba.

pube


Confira a lista de vencedores:

Etapa ES:

1º lugar: Erineu Stich &ndash, Santa Maria de Jetibá &ndash, R$ 4.000,00

2º lugar: Almiro Uhlig &ndash, Itarana &ndash, R$ 3.000,00

3º lugar: Fabricio Virginio &ndash, Afonso Cláudio &ndash, R$ 2.000,00

4º lugar: Nelinho Croce &ndash, Santa Teresa &ndash, R$ 1.500,00

5º lugar: José Luciano de Oliveira &ndash, Afonso Cláudio &ndash, R$ 1.000,00


Etapa MG:

1º lugar: Waldemiro Olimpio de Freitas &ndash, Santa Rita de Minas &ndash, R$ 4.000,00

2º lugar: José Geraldo de Souza &ndash, Piedade de Caratinga &ndash, R$ 3.000,00

3º lugar: Marly Maria de Oliveira &ndash, Piedade de Caratinga &ndash, R$ 2.000,00

4º lugar: Adalberto Ribeiro da Silva – Inhapim &ndash, R$ 1.500,00

5º lugar: Flávio Marigo &ndash, Ubaporanga &ndash, R$ 1.000,00


Fonte: Coopeavi


pube