pube
Geral

A Extensão rural como alavancadora de organizações sociais em Itapemirim

por Redação Conexão Safra

em 29/04/2016 às 0h00

3 min de leitura

pube

O município de Itapemirim, produtor de cana-de-açúcar, mandioca, abacaxi e, principalmente, de pecuária de leite, vê a dificuldade para que suas organizações sociais sejam inseridas nas políticas públicas. Uma das importâncias do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) é essa. O órgão é responsável pela elaboração e execução de programas e projetos que proporcionam o desenvolvimento rural sustentável no Espírito Santo.

“A extensão rural tem buscado ajudar os agricultores familiares do município no sentido de mobilizá-los em torno de objetivos comuns e que possibilitem alternativas de aprendizado, alcançando formas de melhorar a produção agropecuária e tentando inserir canais alternativos de comercialização e/ou representativos de Políticas Públicas, como o Programa de Aquisição de Alimentos e Programa de Alimentação Escolar ”, explicou o Engenheiro Agrônomo e Agente de Desenvolvimento Rural Sustentável do Incaper, Fabiano Lopes Henriques.

Os agricultores familiares de Itapemirim recebem ações desenvolvidas pelo escritório local do Incaper em parceria com outras entidades do setor agrícola do município, representadas através de fomentos diversos, assistência técnica e especialmente mediante a extensão rural, representada por meio da aplicação de metodologias participativas junto aos grupos representativos da agricultura familiar do município, demonstrando a necessidade de melhorar o desenvolvimento das ações a serem desenvolvidas pelas organizações sociais existentes.

Além das iniciativas do Incaper, a Cooperativa de Fornecedores de Cana (COAFOCANA) desenvolve ações de apoio e assistência técnica junto aos agricultores familiares fornecedores de cana-de-açúcar principalmente para a Usina Paineiras, que possui instalações industriais no Município. Existem também pecuaristas de leite cooperados da Selita e da Cooperativa de Laticínios de Alfredo Chaves, que recebem assistência técnica e alternativas de comercialização seguras para o leite in natura que é produzido. Além disso, há ainda a inserção dos produtores da região na Cooperativa do Vale do Orobó, através do Polo de acerola, onde alguns dos agricultores familiares desenvolvem suas atividades econômicas em torno desta cultura.

“A grande importância e diferencial hoje para o desenvolvimento rural e que o extensionismo proporciona é a informação. E a Cooperativa de Laticínios de Alfredo Chaves (CLAC) traz orientações para o produtor, através de parceiros como a equipe técnica do Incaper, o Governo do Estado, entre outros. O investimento em qualidade também é de extrema importância. Tanto qualidade do produto quanto da área social da região, pois uma não existe sem a outra. ”, comentou o Presidente da CLAC, Rolmar Botecchia.


Além das cooperativas atuantes na região, há também o trabalho junto às Organizações Sociais de Itapemirim desenvolvido pelo Incaper local que insere a recém-criada Associação de Produtores Rurais de Itapemirim na produção de alguns dos itens do cardápio escolar previstos na Chamada Pública da Secretaria de Educação do Município.

Fonte: Incaper

pube