pube
Opinião

A festa acabou – por Luiz Marins

por Redação Conexão Safra

em 13/01/2016 às 0h00

2 min de leitura


Todo fim de festa, quando passa a euforia, deixa algumas pessoas com um sentimento nostálgico e até um pouco deprimidas. Segundo especialistas é uma forma de ressaca, mesmo que não se tenha ingerido bebidas alcoólicas.
08/01/16 – 05:49

É também assim que muitas pessoas se sentem após as festas de final de ano, quando a vida se apresenta com todas as cores da realidade concreta, sem fantasias ou fogos de artifício. O esforço para voltar ao ritmo normal das atividades parece ser maior que a força que elas possuem. O que fazer?

Em primeiro lugar é preciso “cair na real ” como se diz popularmente: a festa acabou, o ano começou, a realidade está aí e temos que trabalhar! Temos que encontrar a energia para voltar ao trabalho e muitas vezes em condições ainda mais difíceis neste novo ano que já parece velho. Não adianta fingir que a realidade não existe. Não adianta sonhar com a festa que acabou. É preciso agir!

pube

Em segundo lugar é preciso fazer um grande esforço para tentar ver o lado positivo do trabalho e da vida. Por mais difícil que seja a vida, por mais grave que seja a crise, sempre haverá algumas coisas para comemorar e se não tivermos olhos para ver e ouvidos para ouvir também o lado positivo, a vida se tornará um peso insuportável.

É claro que tudo isso é mais fácil falar do que fazer, mas não nos restam muitas alternativas se quisermos vencer mais este ano que se inicia com saúde física e mental.

Assumir que a festa acabou e que a vida continua é fundamental. Desistir, jamais!

Pense nisso. Sucesso!


*Prof. Luiz Marins é antropólogo, professor e consultor de empresas no Brasil e no exterior. Informações adicionais: www.marins.com.br, www.twitter.com/professormarins, www.facebook.com/programaprofessormarins


pube