pube
Geral

Incaper inicia projeto de mandiocultura em Linhares

O Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) teve mais um projeto...

por Redação Conexão Safra

em 29/12/2015 às 0h00

5 min de leitura

pube
O Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) teve mais um projeto aprovado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo, por meio do edital FAPES Nº 012/2014. Agora, o foco será o desenvolvimento de pesquisas voltadas para o melhoramento da mandioca e da pós-colheita, a fim de transferir tecnologia para os produtores rurais e alavancar o desenvolvimento da mandiocultura nas propriedades capixabas. Os trabalhos serão coordenados pela pesquisadora e doutora em fisiologia vegetal do Centro Regional de Desenvolvimento Rural Centro Norte do Incaper (CRDR-CN), Sara Dousseau Arantes.


O projeto irá trazer ao Estado a doutora em Fitotecnia, Marcela Tonini Venturini – que realizou seus estudos de doutorado, em conjunto com a Embrapa Mandioca e Fruticultura, em Cruz das Almas, na Bahia &ndash, para contribuir com as pesquisas em mandiocultura no escritório do Incaper no Centro Norte. O projeto é intitulado “Caracterização morfoagronômica, fitossanitária e pós-colheita de diferentes genótipos de Manihot esculenta Crantz nas condições edafoclimáticas das regiões Norte e Sul do Estado do Espírito Santo ”.


Para Sara Dousseau, o Incaper possui uma carência de profissionais na área da pós-colheita, principalmente no CRDR-CN, o que tem sido um fator limitante para a evolução dos projetos de pesquisa nesta área, que é tão importante para diversas culturas, uma vez que engloba várias áreas do conhecimento como a fisiologia, fitopatologia, melhoramento, entre outras, que são indispensáveis para se completar um ciclo de pesquisa.


“Marcela poderá alavancar muitos conhecimentos pela experiência pessoal durante os anos em que trabalhou com a cultura e contribuir para cumprimento das metas com êxito esperado ”, completou Sara Dousseau.


De acordo com Marcela Venturini, com as mudanças climáticas projetadas para as próximas décadas, o problema da seca tende a se agravar. “É perfeitamente plausível sugerir projetos com culturas que se adaptem bem à região de plantio em sequeiro ”, disse Marcela.


Ela também explicou que, o fato do Incaper ser uma instituição de pesquisa, assistência técnica e extensão rural, torna a proposta com um diferencial em relação às demais instituições, uma vez que a tecnologia gerada com o desenvolvimento do projeto pode ser facilmente transferida para os produtores rurais, acarretando em ganhos significativos para a comunidade.


Mandioca


Segundo as informações da nutricionista Matilde Alvez, a mandioca é uma raiz com alto valor energético, fonte de carboidratos, pode ser consumida no lugar de arroz, macarrão e batata. Cada 100 gramas de mandioca possui em média 150 calorias.

Pode ser consumida in natura (cozida ou frita), em forma de farinha, fécula, polvilho e até tapioca. A mandioca também é conhecida como macaxeira ou aipim dependendo da região. Contém grande quantidade de vitaminas B.

Possui ainda cálcio e fósforo que são minerais que atuam na formação de dentes e ossos e agem na contração dos músculos. O potássio, também presente na mandioca, ajuda a manter o coração, cérebro, rins, tecidos, músculos e outros órgãos importantes do corpo humano em boas condições.


Sobre o projeto


Esse projeto será desenvolvido no Incaper levando a uma retomada das pesquisas realizadas com a cultura da mandioca iniciadas na década de 1980 e há muito tempo desativadas devido à aposentadoria de pesquisadores e carência de profissionais que se dediquem prioritariamente a esta cultura tão relevante para a agricultura familiar no Estado do Espírito Santo.


Com isso, ressalta-se a importância de se trabalhar com uma cultura não somente de importância em nível mundial, mas por ser uma cultura importante para ser desenvolvida no Estado por agricultores familiares que podem melhorar sua renda, qualidade de vida e sustentabilidade no meio rural.


Além disso, o caráter multidisciplinar da equipe de trabalho, que se caracteriza pela diversidade da área de atuação e pela comprovada competência dos membros envolvidos, contribui para o desenvolvimento de linhas futuras como o melhoramento da mandioca e o desenvolvimento de alimentação alternativa de monogástricos e ruminantes. Desta forma, destaca-se a fundamental importância da proposta para fortalecimento dos grupos de pesquisa do Incaper, no CRDR-CN, com as culturas alimentares, em especial a mandiocultura.


Em suma, como o projeto é voltado para melhoramento da mandioca e pós-colheita, os importantes resultados e produtos gerados serão: caracterização morfoagronômica dos genótipos, indicação de genótipos com bom desenvolvimento produtivo, quantificação do valor nutricional e mineral de cada genótipo, identificação de fontes de resistentes e tolerantes à deterioração fisiológica pós-colheita e microbiana, indicação da ocorrência de pragas e doenças na cultura da mandioca no Espírito Santo, com indicação de genótipos com maior resistência e tolerância às epidemiologias, obtenção do desenvolvimento produtivo dos genótipos estudados em regiões contrastantes no Estado e produção de publicações técnicas e científicas.


Fonte: Incaper

pube