pube
Geral

Começa a campanha de vacinação contra a febre aftosa no Espírito Santo

por Redação Conexão Safra

em 29/10/2015 às 0h00

4 min de leitura

pube

Começa neste domingo (1º) e se estende até o dia 30 de novembro, em todo Espírito Santo, a segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa, coordenada pelo Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf). Nessa etapa devem ser vacinados todos os bovinos e bubalinos (búfalos), envolvendo aproximadamente 2,3 milhões de animais, em 33 mil propriedades de todo o Estado.

A vacinação é realizada pelos próprios produtores e as vacinas podem ser adquiridas em lojas agropecuárias cadastradas, apenas no período da campanha.

Segundo o diretor-presidente do Idaf, Júnior Abreu, o compromisso dos produtores é fundamental para a manutenção do Espírito Santo como zona livre de febre aftosa com vacinação. “O Instituto tem adotado ações para tornar os serviços cada vez mais acessíveis para a população, como a possibilidade de comprovação online, por exemplo, mas é essencial que cada produtor se comprometa com a proteção do seu rebanho e, assim, consigamos alcançar um bom resultado no próximo estudo de eficiência vacinal realizado pelo Idaf em parceria com o Ministério da Agricultura. Essa é uma das etapas para obtermos o status de livres da febre aftosa sem vacinação ”, diz o diretor-presidente.

O coordenador no Idaf do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa, José Dias Porto Júnior, lembra que o Espírito Santo ocupa um importante papel no cenário de exportação de carne bovina. “Por isso, embora erradicada do Espírito Santo, com reconhecimento internacional desde 2001, é preciso que todos se mobilizem. Nesta etapa, todos os bovinos e bubalinos devem ser vacinados, inclusive os bezerros. Também é obrigatória a declaração dos nascimentos e mortes ocorridos no rebanho para que o controle possa ser feito de forma eficaz. A febre aftosa é uma das maiores preocupações da agropecuária e sua ocorrência pode comprometer de forma significativa a economia do Estado, impactando não apenas no agronegócio, mas em diferentes segmentos da região ”, alerta Porto Júnior.

Vacine e comprove
A comprovação da vacinação pode ser feita pela internet ou nos escritórios do Idaf. Os proprietários que não comprovarem a vacina estão sujeitos a multa, que pode variar de R$ 300 a R$ 27 mil, dependendo da quantidade de animais. Além disso, a propriedade fica impedida de movimentar seus bovinos e bubalinos até que a situação seja regularizada.

Comprovação pela Internet: o formulário online estará disponível apenas durante a campanha (até o dia 30 de novembro) no site do Instituto (www.idaf.es.gov.br). É necessário informar CPF e o número do cupom fiscal de aquisição da vacina. Após a campanha, o formulário não ficará mais disponível no site. Caso tenham ocorrido nascimentos ou mortes no rebanho, é necessário que o produtor rural faça esse registro antes de comprovar a vacinação. A atualização dessas informações também pode ser feita pela Internet por meio do Sistema de Integração Agropecuária (Siapec). Para acesso ao Siapec, o usuário deve solicitar a senha em um escritório do Idaf.

Comprovação nos escritórios: deve ser feita até o dia 10 de dezembro, levando a nota fiscal da vacina e a declaração de vacinação preenchida, além de informar nascimentos e mortes ocorridos desde a última atualização cadastral.

Febre aftosa
A febre aftosa é uma enfermidade contagiosa, provocada por vírus e que acomete animais biungulados (de duas unhas), como bovinos, bubalinos, caprinos, ovinos, suínos, entre outros. Os principais sintomas da doença são perda de peso, febre, menor eficiência reprodutiva e aparecimento de aftas na boca, focinho e tetas dos animais. Os animais contraem o vírus por contato direto com outros animais infectados ou por alimentos e objetos contaminados, entre outras formas de transmissão.

pube