pube
Geral

Campanha de vacinação contra febre aftosa é prorrogada até 20 de dezembro

Os produtores rurais do Espírito Santo terão mais 20 dias para vacinar...

por Redação Conexão Safra

em 25/11/2015 às 0h00

3 min de leitura

pube
Os produtores rurais do Espírito Santo terão mais 20 dias para vacinar o rebanho contra febre aftosa. Em função da crise hídrica que ocorre no Estado, o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf/ES) solicitou ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) a prorrogação. O prazo, que terminaria no dia 30 de novembro, foi estendido até o dia 20 de dezembro.

Segundo o diretor-presidente do Idaf, Júnior Abreu, a decisão foi tomada levando em conta a situação de seca no Espírito Santo. “Por isso, o Ministério atendeu à nossa solicitação e prorrogou a etapa, pois o nosso objetivo é que todo o rebanho bovino e bubalino seja vacinado, mantendo os bons índices de vacinação apresentados pelo Estado nos últimos anos ”, diz.

Nesta etapa da campanha devem ser vacinados todos os bovinos e bubalinos, independente da idade, envolvendo em torno de 2,3 milhões de animais, em 33 mil propriedades de todo o Estado.

O médico veterinário do Idaf, José Dias Porto Júnior, responsável no Instituto pelo Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa, explica que, com a seca, o manejo dos animais é mais complexo. “Devido à escassez de água e, consequentemente de alimentos nas propriedades, os animais ficam mais debilitados, dificultando a condução dos procedimentos de vacinação dentro do próprio estabelecimento rural. Esperamos com esse prazo oferecer mais tempo ao produtor para que se organize quanto à disponibilidade hídrica e de alimentos para o seu rebanho, além de esperarmos que, nesse período, chova em território capixaba. ”

Procedimentos

A vacinação é realizada pelos próprios produtores e as vacinas podem ser adquiridas em lojas agropecuárias cadastradas, apenas no período da campanha, que agora foi ampliado até o dia 20 de dezembro.

A comprovação da vacinação pode ser feita pela internet ou nos escritórios do Idaf. Os proprietários que não comprovarem a vacina estão sujeitos a multa, que pode variar de R$ 300 a R$ 27 mil, dependendo da quantidade de animais. Além disso, a propriedade fica impedida de movimentar seus bovinos e bubalinos até que a situação seja regularizada.

Comprovação pela Internet: o formulário online estará disponível apenas durante a campanha (até o dia 20 de dezembro) no site do Instituto (www.idaf.es.gov.br). É necessário informar CPF e o número do cupom fiscal de aquisição da vacina. Após a etapa, o formulário não ficará mais disponível no site. Caso tenham ocorrido nascimentos ou mortes no rebanho, é necessário que o produtor rural faça esse registro antes de comprovar a vacinação. A atualização dessas informações também pode ser feita pela Internet.

Comprovação nos escritórios: em função da prorrogação, poderá ser feita até o dia 30 de dezembro, levando a nota fiscal da vacina e a declaração de vacinação preenchida, além de informar nascimentos e mortes ocorridos desde a última atualização cadastral.

Febre aftosa

A febre aftosa é uma enfermidade contagiosa, provocada por vírus e que acomete animais biungulados (de duas unhas), principalmente os bovinos e bubalinos. Os animais contraem o vírus por contato direto com outros animais infectados ou por alimentos e objetos contaminados, entre outras formas de transmissão.

pube