pube
Geral

Apesar da seca, produtor aumenta produção de leite

por Redação Conexão Safra

em 20/11/2015 às 0h00

4 min de leitura

pube
O equilíbrio de concentrado com forragem resulta em maior produtividade



As regiões mais quentes do Espírito Santo se destacam na produção de leite. O município de Muniz Freire é um dos principais produtores do Estado, com aproximadamente 30 mil litros por mês. No último dia 14 de novembro, a cidade foi sede de um evento técnico sobre a soluções para manter os níveis nutricionais do gado e não impactar no volume de leite das propriedades.

O evento reuniu aproximadamente 100 pequenos e médios produtores de leite, na propriedade do Sr. Manuel Alonso. Foi o primeiro Dia de Campo realizado na região, com a presença do professor especialista em vacas leiteiras, o Dr. Nilson Nunes, do Instituto Federal do Espírito Santo (campus de Itapina-Colatina). Além dele, o evento contou com a presença dos diretores executivos da Coopeavi, Argêo Uliana (dir. Adm. Comercial) e Denilson Potratz (vice-presidente).

A seca tem sido um problema vigente em todas as regiões do Estado, a atividade mais impactada é a pecuária. Mas na fazenda Boa Esperança, a situação está um pouco melhor, graças ao trabalho antecipado, como a preparação de silagem. “Devido à seca do início ano passado, comprei um trator e uma picadeira, e estou fazendo a silagem dentro da propriedade, com isso estou passando esse período sem chuva com muita tranquilidade ”, disse o produtor João Geraldo Alonso, administrador da fazenda e filho do Sr. Manuel.

Para fazer a silagem, ele utiliza o capim “Elefante ”, abundante no local. Para o professor, independente do material de forragem disponível, é necessário fazer uma análise para identificar os níveis de nutrientes presente na planta. “Conhecendo o material disponível é possível adquirir um concentrado (ração) mais adequado para cada realidade, o ideal é ter um equilíbrio entre forragem e concentrado ”, aponta ao explicar sobre a necessidade de oferecer ao animal uma fonte de fibra junto com a ração. “O gado precisa ruminar ”, complementa.

O planejamento é fundamental para enfrentar as intempéries climáticas. De acordo com o professor Nilson, o produtor deve conhecer o seu gado para oferecer uma alimentação diferenciada para cada animal, o ideal é separar as vacas de acordo com o volume de produção para suprir as necessidades. “A maioria dos produtores tende a dar apenas um concentrado para todas as vacas, porque não há cultura de separá-las por lote ”, explica.

Quando o produtor faz o acompanhamento e o manejo certo, o resultado torna-se consequência do trabalho desenvolvido. “Tenho recebido orientações dos técnicos e veterinários da Coopeavi e isso está ajudando na produção de leite, hoje tenho 26 vacas e a minha produção média está em 500 litros por dia ”, afirma o produtor João Alonso.

Realidade bem diferente de dois anos atrás. “Por falta de comida suficiente para o meu gado, no início do último ano, minha produção variava entre 280 a 300 litros/dia ”, ou seja, em menos de dois anos, sua produção aumentou quase 100%, devido as orientações da cooperativa.
Há oito anos na atividade leiteira, o sr. João é uma referência em Muniz Freire. Desde que começou na pecuária, buscou incessantemente por novidades capazes de impulsionar sua produtividade. “Abri as porteiras para o dia de campo da Coopeavi, para mostrar aos demais produtores que com algumas iniciativas simples é possível ter resultados melhores ”.

Essa importância de ter reuniões disseminadoras de conhecimentos é ressaltada também pelo produtor João Marcos Machado, da região de Piaçu. “É primordial receber novas informações para expandir nossos conhecimentos, esse trabalho da cooperativa de integrar é muito importante, a gente nunca sabe de tudo, mas essa difusão de técnicas traz desenvolvimento ”.

A disseminação de conhecimentos é realizada por diversos eventos promovidos pela Coopeavi. Neste mês ainda haverá outros eventos focados em nutrição animal nas regiões atendidas pela cooperativa. “No próximo sábado (21) estaremos em Goiabeira (MG), onde apresentaremos experiências bem-sucedidas de produtores e como pequenas mudanças de hábitos pode ampliar o desenvolvimento da pecuária nas propriedades ”, afirma o gerente regional de Nutrição Animal da Coopeavi, Clóvis Franco.



,Fonte: Assessoria de Comunicação da Coopeavi ,

pube