pube
Geral

Agroecologia é tema de oficina do Pedeag 3 em Nova Venécia

As oficinas do Plano Estratégico de Desenvolvimento da Agricultura Capixaba....

por Redação Conexão Safra

em 03/11/2015 às 0h00

7 min de leitura

pube


As oficinas do Plano Estratégico de Desenvolvimento da Agricultura Capixaba, o Pedeag 3, vêm discutindo os desafios e as oportunidades das 29 principais cadeias produtivas do agronegócio capixaba. Também estão em debate 10 temas transversais, como comercialização dos produtos da agricultura familiar e irrigação e outorga. Um desses temas transversais, a agroecologia, estará em debate durante a oficina do Pedeag 3, nesta quarta-feira (04), a partir das 15 horas, no auditório do Ifes de Nova Venécia.

Produtores rurais, técnicos e representantes de associações, entidades públicas, movimentos sociais e cooperativas agrárias são esperados para participar dos trabalhos. Durante as oficinas, os participantes recebem um questionário de avaliação dos principais desafios e oportunidades de sua cadeia produtiva específica. Esse material será usado para subsidiar a elaboração do Pedeag 3, que contará ainda com entrevistas qualitativas que serão feitas com mais de 100 especialistas.
Desde o final de agosto, cerca de três mil pessoas já passaram pelas oficinas do Pedeag 3 e mais de 1,8 mil questionários foram respondidos.

Agroecologia

A agroecologia pode ser entendida como o manejo ecológico dos recursos naturais, através da ação social coletiva, com propostas de desenvolvimento participativo, desde as formas de produção até a circulação alternativa de seus produtos, estabelecendo relações entre produção e consumo capazes de encarar a crise ecológica e social.

A agroecologia possui uma dimensão integral onde as variáveis sociais ocupam um papel de destaque. As relações estabelecidas entre os seres humanos e as instituições que as regulam constituem a peça chave dos sistemas agrários, que dependem do homem para sua manutenção, respeitando ainda os sistemas de conhecimento local e tradicional, onde reside o potencial endógeno que garante a dinamização da biodiversidade ecológica e sociocultural. De modo mais simples, a agroecologia pode ser definida como a aplicação dos princípios ecológicos para o entendimento e desenvolvimento de agroecossistemas sustentáveis.

Agricultura Orgânica

Agricultura orgânica é o sistema de manejo sustentável da unidade de produção com enfoque sistêmico que privilegia a preservação ambiental, a agrobiodiversidade, os ciclos biogeoquímicos e a qualidade de vida humana. É um processo produtivo comprometido com a organicidade e sanidade da produção de alimentos vivos para garantir a saúde dos seres humanos, razão pela qual usa e desenvolve tecnologias apropriadas à realidade local de solo, topografia, clima, água, radiações e biodiversidade própria de cada contexto, mantendo a harmonia de todos esses elementos entre si e com os seres humanos.

A agricultura orgânica aplica os conhecimentos da ecologia no manejo de produção, baseada numa visão holística da unidade de produção. Isto significa que o todo é mais do que os diferentes elementos que o compõem. Na agricultura orgânica, a unidade de produção é tratada como um organismo integrado com a flora e a fauna.

O Orgânico no Espírito Santo

No Estado, os produtos orgânicos vêm ganhando mercado. Ao todo são 300 produtores certificados, principalmente nos municípios de Santa Maria de Jetibá, Iconha, Fundão, Muqui, Cachoeiro do Itapemirim, Nova Venécia, Pedro Canário, Laranja da Terra, Vila Valério e Cariacica.
Outros 1,3 mil produtores utilizam práticas agroecológicas, sendo que 300 deles estão em fase de transição para a produção orgânica.
Atualmente, são produzidas em média 2,8 mil toneladas (50% de frutas e 50% de olerícolas) de orgânicos por mês no Espírito Santo. A produção de outras 10 mil toneladas está em fase de transição para o modelo orgânico. Entre os produtos que se destacam estão hortaliças em geral, frutas, produtos da agroindústria caseira, como pães, biscoitos, bolos, doces e geleias. Flores, plantas medicinais e temperos também são comercializados nos mais de 50 pontos de venda do Estado, entre supermercados, feiras livres e feiras especializadas. Pelo menos 40 municípios no Estado produzem orgânicos atualmente, 21 deles com produtores certificados.
Para impulsionar e desenvolver tecnologias voltadas à modalidade orgânica, o Incaper mantém uma Unidade de Referência em Agroecologia em Domingos Martins. Denominado “Desenvolvimento Integrado de Tecnologias e Indicadores Agroambientais para a Produção de Alimentos Orgânicos ”, o projeto treinou mais de 500 produtores e recebeu a visita de mais de 4 mil pessoas ao longo de 25 anos de história. Em 2014, venceu o Prêmio Celso Furtado de Desenvolvimento Regional, concedido pelo Ministério da Integração Nacional.

O Pedeag 3

A Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag) está definindo as prioridades do setor agrícola para os próximos 15 anos. O Pedeag 3 conta com a participação de representantes das diversas cadeias produtivas do agronegócio, produtores rurais, pesquisadores, professores e lideranças cooperativistas e de associações produtivas. São mais de 50 oficinas de trabalho, que servirão de base para a construção do Planejamento Estratégico da agricultura capixaba.

O Pedeag 3 será formulado a partir da análise de cenários e da elaboração de diagnósticos, identificando oportunidades e desafios, estabelecendo objetivos e metas e definindo planos de ação e projetos, com foco na geração de melhores resultados para o agronegócio capixaba. Tudo isso alinhado com a análise de temas transversais, tais como capital humano, sustentabilidade, tecnologia e capacidade de inovação, organização da produção, logística e comercialização, dentre outras.

O primeiro Pedeag foi elaborado em 2003, a partir de uma iniciativa pioneira na história recente da agricultura capixaba. Logo o Pedeag se transformou na principal ferramenta de planejamento do setor agrícola do Estado. Em 2008, a Secretaria de Estado da Agricultura elaborou o Novo Pedeag, mantendo as linhas e diretrizes da primeira versão, mas aprofundando a visão estratégica por culturas e regiões capixabas. O Pedeag 3 vai atualizar as diretrizes e metas, com base nos pilares do empreendedorismo, da sustentabilidade e da inovação.

www.pedeag.es.gov.br

Além de participar dos debates presenciais, produtores rurais e representantes das diversas cadeias produtivas do agronegócio capixaba têm à disposição mais uma ferramenta interativa para ajudar na construção do planejamento o estratégico do setor. No site do Pedeag 3 (www.pedeag.es.gov.br) os internautas podem apresentar sugestões e contribuições que ajudem no desenvolvimento dos principais arranjos produtivos da agropecuária do Estado.

O site disponibiliza o calendário de oficinas por temas e municípios. Há também uma apresentação sobre o Pedeag 3, com seus objetivos e metas, além de notícias, fotos e um espaço interativo onde é possível ter acesso às apresentações técnicas com o panorama dos diversos setores do agronegócio capixaba e às contribuições apresentadas durante os debates. O internauta poderá referendar duas sugestões ou selecionar uma e enviar uma nova sugestão para ser incluída na base de dados no Pedeag 3.

Agenda das oficinas do Pedeag 3 (de 3/11 a 5/11)

Cana-de-açucar
Nome: Cana-de-açúcar (Pedro Canário)
Local: Auditório do Apides Palace Hotel (Rodovia BR 101 Norte – Km 17 – Pedro Canário)
Data: 03/11/2015 – 14h

Pesquisa e inovação
Nome: Pesquisa e Inovação (Linhares)
Local: Auditório da Universidade Aberta do Brasil (Av. Presidente Costa e Silva, 155 – Linhares)
Data: 05/11/2015 – 8h30

Sivilcultura
Nome: Silvicultura (Aracruz)
Local: Auditório da ESTEL Serviços Industriais (Av. Presidente Castelo Branco, s/n.º – Centro Empresarial, Blocos A/B/C – Aracruz)
Data: 05/11/2015 – 15h

pube