Geral

ABPA: mercado da Malásia é importante para carne de frango do Brasil

por Redação Conexão Safra

em 23/10/2015 às 0h00

3 min de leitura

ABPA: mercado da Malásia é importante para carne de frango do Brasil

pube


“Além de representar uma grande oportunidade de negócios para os exportadores brasileiros, a abertura do mercado da Malásia exalta dois importantes diferenciais do País: nosso status sanitário e nossa capacidade de produzir frango “halal ” de alta qualidade, dentro dos padrões determinados por este exigente mercado ”, analisa Francisco Turra, presidente da ABPA. Foto: Alf Ribeiro/Divulgação

O mercado da Malásia é mais um importante destino com excelente potencial de crescimento nos embarques de carne de frango do País. A afirmação é do presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra, ao avaliar o anúncio de que o país asiático habilitou quatro novas plantas frigoríficas. O novo acordo foi divulgado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), no último dia 13 de outubro.

As vendas externas de carne de frango para a Malásia devem representar US$ 35 milhões ao ano para o Brasil, segundo estimativas da ABPA. A entidade ainda espera exportar 15 mil toneladas ao ano do produto, podendo representar 31% do total das 48 mil toneladas importadas por aquele mercado asiático. As comercializações também devem incrementar a balança comercial brasileira em US$ 35 milhões, conforme prevê a instituição.

“Além de representar uma grande oportunidade de negócios para os exportadores brasileiros, a abertura do mercado da Malásia exalta dois importantes diferenciais do País: nosso status sanitário e nossa capacidade de produzir frango “halal ” de alta qualidade, dentro dos padrões determinados por este exigente mercado ”, analisa Turra.

Até agora, somente uma planta do município de Amparo (SP) está habilitada para exportar carne de frango para a Malásia. “A produção halal segue uma série de preceitos determinados pelo islamismo quanto à produção de alimentos. Seu cumprimento é fiscalizado pelas certificadoras halal instaladas no Brasil ”, explica o executivo.

De acordo com o presidente da ABPA, são considerados diversos pontos para exportação de carne de frango para a Malásia ou para outros países islâmicos, “como a forma de degola (corte transversal que minimize ao máximo o sofrimento do animal, com rápida sangria), o abate ser virado para Meca, o profissional da linha de abate ser obrigatoriamente professante da religião islâmica, entre outros pontos ”.

OUTRAS PLANTAS

No início de outubro, o Ministério da Agricultura e o Serviço Federal de Vigilância Veterinária e Fitossanitária da Rússia (Rosselkhoznadzor) também assinaram protocolo que deve viabilizar a habilitação de, pelo menos, 74 plantas brasileiras exportadoras de tripas.

Para Turra, “quando for concretizado, será bastante relevante para o incremento das exportações do setor de proteína animal ”. “No caso do setor de suínos, que entre janeiro e setembro exportou 1,6 mil toneladas do produto, deveremos ver uma boa elevação, favorecendo a ampliação do saldo geral dos embarques ”, afirma (leia também sobre o atual cenário do setor de suínos em sna.agr.br/?p=25819).

Em entrevista coletiva, durante assinatura de acordo com a Rússia, a secretária de Relações Internacionais do Agronegócio do Mapa, Tatiana Palermo, disse que o Brasil está vivendo “um momento especial ” em sua relação comercial com este mercado.

“Os próprios russos reconhecem que há uma agilidade inédita na interlocução entre os dois ministérios. Basicamente limpamos nossa pauta com o país ”, comemorou a secretária.

Por equipe SNA/RJ