pube

Julia Pedroni Batista Bastos

Colunista Conexão Safra.

MAIS CONTEÚDOS
Colunistas

Governança rural: a solução para organizar melhor seu patrimônio, negócio e família

por Julia Pedroni Batista Bastos

em 19/07/2022 às 10h48

2 min de leitura

O Estado do Espírito Santo tem na sua história e cultura o desenvolvimento de negócios rurais de controle familiar, por gerações e gerações.

A realidade, no entanto, é que surgem desentendimentos entre os familiares e agregados, por diversos fatores: má gestão, as novas gerações que começam a assumir o negócio sem levar em consideração os valores da família, má remuneração e falta de definição de funções e direitos para todos os envolvidos.

pube

Estatísticas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Geral (IBGE) demonstram que as empresas familiares constituem 90% da atividade empresarial no Brasil, porém, apenas 1/3 dessas empresas chegam até a 3º geração, e menos que 10% sobrevive da 3ª geração em diante.

Quando se trata de negócios agrários, esse cenário se torna mais arriscado, por conta da informalidade e da exploração do negócio por meio da pessoa física (a lei no Brasil permite ao produtor rural explorar a atividade como empresa tanto na forma de pessoa física, como na pessoa jurídica, e por questões tributárias, geralmente opta-se por explorar pela primeira opção).

Por essas razões, é necessário que o gestor do empreendimento rural, seja no ramo de imóveis, produção, industrialização ou comercialização, se atente para as regras de governança do negócio.

Mas, o que é governança? Nada mais é do que a estruturação de regras, funções e responsabilidades bem definidas para criação de um ambiente confiável e amigável entre os sócios e familiares, para que todos respeitem a instituição com seus valores e cultura própria.