pube
Cafeicultura

CNC apoia ABIC quanto ao Regulamento Técnico do café torrado

por Assessoria de Imprensa

em 24/09/2021 às 18h05

2 min de leitura

O presidente do Conselho Nacional do Café (CNC), Silas Brasileiro, atendendo a convite da Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC), esteve em audiência na manhã de quinta-feira, 23, no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), acompanhado do Diretor Executivo da ABIC, Celírio Inácio da Silva, do Advogado responsável pelos assuntos governamentais da ABIC, Dr. Felipe Lelis Moreira, com o Secretário-Executivo do MAPA, Marcos Montes, com o Secretário de Defesa Agropecuária (SDA),  José Guilherme Leal e com o Diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal (SDA/MAPA), Glauco Bertoldo.

Na oportunidade, a comitiva tratou da Consulta Pública através da Portaria nº 364, de 16 de julho de 2021, em que consta a proposta de estabelecer o Regulamento Técnico do café torrado. Justifica-se a audiência no sentido do atendimento a três segmentos importantes para o café brasileiro:

pube

1 – Trata-se de uma antiga reivindicação dos produtores, suas cooperativas e associações, em relação a impurezas no café torrado e moído por parte de algumas indústrias. O uso de grãos de baixíssima qualidade e, em alguns casos, até a adição de palha melosa, além de diminuir a matéria-prima básica apresenta uma bebida de pouca qualidade. Tal subterfúgio, pode corresponder até dois milhões de sacas de café, que poderiam ser consumidos pelo mercado;

2 – Proteção ao consumidor com consequente oferta de café de qualidade, o que contribuiria até para o aumento do consumo, visto que a qualidade do café induz a esse aumento pelo prazer de tomar uma boa taça ao invés de consumir pelo simples hábito;

3 – A indústria de café torrado e moído prima por essa qualidade buscando sempre a pureza do café a ser colocado no mercado consumidor.

“Sem dúvidas foi uma audiência rica em uma matéria de tamanha importância que favorece toda a cafeicultura brasileira. Sendo essa uma contribuição do CNC”, analisou Silas Brasileiro.

Como resultado, será estendido o prazo de consulta pública e nova audiência será marcada para discussão mais aprofundada sobre o alcance que a edição desta instrução normativa abrangerá.

pube