Anuário do Agro Capixaba

Agroturismo: diversão para os visitantes, renda para o produtor rural

A região sul capixaba já conta com 350 empresas e gera emprego e novas oportunidades

por Coordenação de Comunicação e Marketing do Incaper

em 12/03/2020 às 16h44

9 min de leitura

Agroturismo: diversão para os visitantes, renda para o produtor rural

(Fotos: *Leandro Fidelis)


O modelo italiano de turismo em que sítios e fazendas abrem suas porteiras para oferecer produtos típicos e lazer aos visitantes tem no sul do Espírito Santo um caso de sucesso. Estimativas do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/ES) calculam que a região já conta com 350 empreendimentos, o equivalente a 70% do total em todo o Estado.

A atividade é completamente ligada ao meio rural e diversificou a renda das famílias de produtores para além da agricultura e pecuária. Cada empreendimento emprega, em média, três funcionários, o permitido para ser considerado agroturismo, o que totaliza cerca de mil pessoas vivendo diretamente dessa modalidade de turismo.

Noventa por cento dos associados da Associação de Agroturismo do Espírito Santo (Agrotures) estão na Região Serrana. E Venda Nova do Imigrante se destaca pelo pioneirismo. Há 25 anos, o município criou uma associação e acabou irradiando a iniciativa na região.

A cidade colonizada por italianos detém o título de “Capital Nacional do Agroturismo ” e conta com 57 propriedades rurais catalogadas, comercializando queijos, embutidos de carne de porco, vinhos, antepastos, iogurtes e outros produtos antes só fabricados para consumo próprio das famílias.

Segundo o Sebrae/ES, o agroturismo rende aproximadamente R$ 15 mil por ano aos produtores, uma realidade jamais imaginada no passado extremamente dependente da roça. E a atividade gerou nova perspectiva para as mulheres no campo, uma vez que elas são maioria à frente dos negócios em todo o Estado.

Caparaó

Mais recentemente, os produtores rurais do Caparaó Capixaba passaram a se atentar para as vantagens de receber turistas e fazê-los permanecer por mais tempo na região onde fica o Pico da Bandeira. Se antes os visitantes tinham como destino apenas a terceira montanha mais alta do Brasil, atualmente eles têm opções diversas de lazer, gastronomia e ecoturismo no distrito de Pedra Menina, em Dores do Rio Preto.

Nos últimos cinco anos, a localidade vive uma expansão de empreendimentos, que vão desde pizzarias, cafeterias servindo bebidas de paladar superior a partir de grãos especiais produzidos na região até bares com cervejas artesanais e restaurantes sofisticados.

Outro município em destaque no Caparaó é Iúna, com dezenas de empreendimentos de agroturismo. Além das delícias da roça e dezenas de cachoeiras, o clima marcado por temperaturas mais baixas é um convite a mais para conhecer a região.

Certificação

O agroturismo sul capixaba também está em conexão com o mundo. Em 2018, o socol de Venda Nova, presunto maturado de origem italiana, ganhou o reconhecimento de referência na produção com a Indicação Geográfica (IG) concedida pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), após dez anos do início do processo feito pela Associação Dos Produtores de Socol de Venda Nova do Imigrante (Assocol).

A certificação é utilizada para conhecer a procedência de serviços ou produtos, quando as características do que é comercializado remetem ao local de origem ou no momento que a área tornou-se mais conhecida.

A mesma marca de respaldo internacional vai imprimir também mais notoriedade aos cafés do Caparaó. Um inventário sobre as características únicas do produto está em fase avançada para conquistar a Indicação Geográfica em breve.

Da moqueca à polenta: o turismo capixaba ganha o mundo

pube

O Espírito Santo se divide em dez regiões turísticas, cada uma oferecendo diversas possibilidades de lazer, negócios, eventos, gastronomia, cultura, história e belezas naturais. A proximidade do mar e das montanhas oferece ao turista uma experiência única e contrastante: em terras capixabas, tradição e modernidade, agitação e tranquilidade, aventura e cultura andam lado a lado.

Em 40 minutos, é possível sair do clima quente das praias e da autêntica moqueca capixaba, para apreciar o aconchego das montanhas com direito a pratos alemães e italianos e um bom vinho.

Confira as principais regiões turísticas do Estado:

Região Metropolitana

Composta por sete municípios, a Região Metropolitana oferece desde o agito da cidade aos refúgios do campo. Praias, gastronomia, turismo religioso, folclore, patrimônio histórico, teatros, museus, turismo de aventura, ecoturismo, parques, eventos, pesca marítima esportiva, agroturismo, badalação e a riqueza musical capixaba fazem parte das opções de turismo, negócios e lazer na Região.
Além disso, este roteiro possui o maior aeroporto do Estado, ampla rede hoteleira e centros de convenções para eventos de negócios.

Municípios: Cariacica, Fundão, Guarapari, Serra, Viana, Vila Velha e Vitória.

Região das Montanhas Capixabas

A Região das Montanhas Capixabas é composta por nove municípios que têm forte influência europeia. Os descendentes mantêm as tradições alemãs, italianas, austríacas, pomeranas e polonesas herdadas dos imigrantes. Suas belezas naturais e clima ameno dão um charme especial à Região. Com sua cultura, história, música, danças, gastronomia, festas típicas, agroturismo e sua hospitalidade, as cidades e os moradores encantam os visitantes. Durante o inverno, é a região mais procurada do Estado.

Municípios: Afonso Cláudio, Brejetuba, Castelo, Conceição do Castelo, Domingos Martins, Laranja da Terra, Marechal Floriano, Vargem Alta e Venda Nova do Imigrante.

Região dos Imigrantes

Montanhas, rios, cachoeiras, história e cultura são alguns dos atrativos turísticos das oito cidades da Região dos Imigrantes. Os municípios dessa Região foram colonizados por imigrantes europeus e seus descendentes, que aqui vivem e preservam suas tradições. Destaca-se também o cultivo de uvas, maçãs e morangos com a agricultura familiar que possuem sítios abertos a visitação, pode até serem colhidas pelos próprios visitantes. Destacam-se o agroturismo, ecoturismo, esportes de aventura, a gastronomia, entretenimento e as festas típicas de origem europeia que celebram as tradições imigrantes.

Municípios: Ibiraçu, Itaguaçu, Itarana, João Neiva, Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, Santa Teresa e São Roque do Canaã.

Região do Caparaó

Ideal para a prática do turismo de aventura, do ecoturismo e do agroturismo, a Região do Caparaó é formada por dez municípios que ficam no entorno do Parque Nacional do Caparaó. A Região tem parte da Serra do Mar e da Mantiqueira, o Pico da Bandeira, terceiro mais alto do Brasil, e o Parque Estadual da Cachoeira da Fumaça. O Parque Nacional e seu entorno encantam por conta de suas belezas naturais, bucolismo, misticismo, gastronomia, cultura e história.

Municípios: Alegre, Divino de São Lourenço, Dores do Rio Preto, Guaçuí, Ibatiba, Ibitirama, Iúna, Irupi, Jerônimo Monteiro e São José do Calçado.

Região do Verde e das &Aacute,guas

Composta por seis municípios, a Região do Verde e das &Aacute,guas fica no litoral norte capixaba. Possui riquezas naturais e culturais que convidam o turista a descobrir a história e vivenciar o bucolismo das inúmeras e belas praias, rios e lagos, em alguns pontos o encontro dos dois. A Região contém o maior complexo lacustre do Sudeste brasileiro, dunas em frente ao mar, e também abriga reservas das tribos Tupiniquins e Guarani, além de reservas biológicas.

Municípios: Aracruz, Conceição da Barra, Linhares, Rio Bananal, São Mateus e Sooretama.

Região Doce Pontões Capixaba

A Região composta por sete municípios oferece diversas opções de turismo, como aventura, ecoturismo, turismo rural, religioso, cultural, gastronômico e de negócios e eventos. O turismo de negócios é o mais forte da Região, devido às potencialidades econômicas concentradas nos mercados de mármore e granito, confecções e vestuário e produção rural diversificada. As belezas naturais e os atrativos, principalmente religiosos, se destacam na região.

Municípios: Baixo Guandú, Colatina, Governador Lindenberg, Mantenópolis, Maril&acirc,ndia, Pancas e São Domingos do Norte.

Região Doce Terra Morena

Formada por dois municípios fica no extremo norte do Estado. A Região é rica em belezas naturais e culturais e recebeu esse nome devido sua forte produção de frutas (Doce), sua característica de terras planas e férteis (Terra), por sua brasilidade e principalmente por sua deliciosa carne de sol (Morena), considerada a melhor do Estado. Possui rios e cachoeiras que proporcionam prática da pesca e do turismo de aventura com o raffting. O agroturismo, o artesanato e agricultura familiar são as principais atividades da região.

Municípios: Montanha e Mucurici.

Região dos Vales e do Café



Esta é uma Região Turística privilegiada, composta por três cidades, que reúnem lazer, belezas naturais, cultura e bons negócios. Lá fica o principal polo do Brasil no setor de mármore e granito. Além disso, um patrimônio histórico com palácios espalhados pelas cidades, alguns deles tombados. Também destacam-se os casarios que retratam a cultura da época colonial e resgatam os costumes e tradições dos povos libaneses, italianos e portugueses, e uma rica história que teve começo na produção e exportação de café no período colonial.
Tudo isso cercado por montanhas e vales e paisagens de tirar o fôlego.

Municípios: Cachoeiro de Itapemirim, Mimoso do Sul e Muqui.

Região da Costa e da Imigração

De um lado, lindas praias, algumas delas semidesertas e com falésias, ideal para prática da tirolesa. De outro lado, belas cachoeiras que são um convite para esportes radicais como rapel e raffing, além de rampas para voo livre e também lugares para trilhas. A Região, que fica no litoral sul capixaba, é formada por cinco municípios que, além de riquezas naturais, têm a influência dos imigrantes europeus, e seus pontos fortes são o artesanato, cultura, dança, história, música nas festas típicas e os animados blocos de carnaval.

Municípios: Alfredo Chaves, Anchieta, Iconha, Marataízes e Piúma.

Região das Pedras, Pão e Mel

Formada por cinco cidades ao extremo noroeste do estado, a Região tem força no ramo de mármore e granito. Possui atrativos diversos como artesanato, patrimônio histórico e cultural, cachoeiras, agroturismo e ecoturismo e festas típicas. Na gastronomia, a carne de sol é o destaque da Região.

Municípios: Boa Esperança Nova Venécia, São Gabriel da Palha, Vila Pavão e Vila Valério.

Fonte: Site institucional da Secretaria de Estado de Turismo do Espírito Santo (SETUR), consultado em novembro de 2019.


Esta matéria faz parte do Anuário do Agronegócio Capixaba,
disponível AQUI
na íntegra!

Artigos relacionados