pube
Meio Ambiente

Menor percentual do consumo de água vai para a Agropecuária

Apenas 7% do volume de água da Bacia Hidrográfica do Rio Santa Maria da Vitória é destinada para a irrigação e consumo animal.

por Redação Conexão Safra

em 02/04/2015 às 0h00

3 min de leitura

pube

Apenas 7% do volume de água da Bacia Hidrográfica do Rio Santa Maria da Vitória é destinada para a irrigação e consumo animal.


O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Santa Maria da Vitória (RSMV) se reuniu
dia 5 de feveriero
no auditório da Farese (Faculdade da Região Serrana), para debater diretrizes de atuação diante da crise hídrica estabelecida no Espírito Santo devido à falta de chuvas do início do ano.

Diversas instituições, como Coca Cola, EDP, Vale, Arcelor Mittal, Cesan estavam representadas na reunião, além de autoridades estaduais e municipais. O Instituto Coopeavi também participou do encontro (como convidado), representando todos os cooperados da Coopeavi.
O encontro serviu para expor as principais medidas tomadas, pelas instituições beneficiadas pelas águas da bacia, para minimizar os impactos da falta de chuvas. Além disso, traçar uma real situação e o volume de água no rio e córregos da região.

De acordo com o comitê, o agronegócio representa o menor consumo de água da bacia. Cerca de 93% do volume vão para as indústrias (137.066 m³/dia) e o abastecimento público (141.914 m³/dia). A criação de animal (6.725 m³/dia) e a irrigação (14.292 m³/dia) correspondem apenas 7% de toda a demanda de água da bacia (299.998 m³/dia).


O Governo Estadual informou na reunião que está elaborando um Plano de Segurança Hídrica, para ser implantado com caráter emergencial, contemplando também as fases de grande quantidade pluviométrica.


O Comitê apresentou a plenária uma deliberação de caráter emergencial que define prioridades nos usos da água e as prioridades são:


a) Consumo Humano,

b) Consumo animal,

c) Uso agrícola para produção de alimentos,

d) Serviço e comércio,

e) Industrial.

Também foi deliberada as seguintes condições:


– A Cesan deverá informar e repassar ao CBH relatórios de consumo da população de 15 em 15 dias,
– A agricultura familiar não deverá ser prejudicada, podendo captar água bruta dentro do limite permitido,
– A irrigação deverá ser noturna.




Coopeavi adquire galpões de 20 mil m2 da antiga Fiesa

No terreno de 227 mil metros quadrados será instalado o Complexo Logístico Coopeavi que beneficiará mais de 10 mil produtores rurais associados à cooperativa


A Coopeavi

investe para expandir suas estruturas de estocagem de produtos agropecuários e cafés. A cooperativa

adquiriu através de leilão um terreno de 227 mil metros quadrados que pertencia a Fiesa (Fiação Espírito Santo S/A), em Ibiraçu. No local, que conta com 20 mil metros quadrados de galpões construídos, funcionará o
Complexo Logístico Coopeavi
que consiste em uma centralização de todo o estoque de produtos e insumos agropecuários comercializados pela cooperativa, além disso, também será a maior unidade de armazenamento de cafés da Coopeavi, com capacidade superior a 500 mil sacas de café.

Sobre a Coopeavi &ndash, A Coopeavi é uma cooperativa do segmento Agronegócio, com atuação no Espírito Santo, Minas Gerais e Bahia. Fundada em 1964.
Atualmente conta com mais de 9 mil cooperados, em sua maioria pequenos e médios produtores.



pube