Geral

Comunidades rurais ganham medidores de umidade de café

Para o Café Conilon, a umidade ideal é de no máximo 13% e para o Arábica, 12%

por Redação Conexão Safra

em 30/06/2014 às 0h00

3 min de leitura

Comunidades rurais ganham medidores de umidade de café


Sete medidores de umidade de café, que serão utilizados nas comunidades de Água Limpa, São Manoel, Estrela do Norte, Santa Maria, Pontões, Bateia e Caxixe Quente, foram entregues aos representantes de cada comunidade. A entrega foi feita pelo prefeito Jair Ferraço, o vice Eutemar Venturim, o secretário Municipal de Agricultura, Gilberto Gava Marques, vereadores e outras autoridades, na Sala de Degustação de Café de Castelo.

pube

Os medidores de umidade, adquiridos através de um convênio da Secretaria Municipal de Agricultura, com a MAPA – Caixa, custaram R$ 15,4 mil, e serão utilizados por todas as sete comunidades a partir de agora para que os produtores beneficiem o café com a umidade adequada, já que o excesso ou falta de umidade do café faz com que ele perca qualidade. Para o Café Conilon, a umidade ideal é de no máximo 13% e para o Arábica, 12%.

“A Prefeitura está investindo para melhorar a vida de quem vive no campo. Pode parecer uma valor baixo, R$ 2,2 mil cada equipamento desse, mas já é uma ajuda para que vocês produtores não precisem desembolsar. E um equipamento vai colaborar com todos os cafeicultores de cada comunidade””, disse o prefeito Jair Ferraço, que teve a fala completada pelo secretário Municipal de Agricultura. “Inicialmente beneficiamos sete comunidades dos cinco polos agrícolas de Castelo. A gente tem intenção de ampliar esse processo, que visa ajudar na produção da obtenção da qualidade do café ou outros grãos ”, informou Gilberto Gava Marques.

Os medidores serão administrados pelos presidentes das Associações Comunitárias, que vão definir o local onde vão ficar, facilitando o acesso de todos os cafeicultores das comunidades. “Quem trabalha com qualidade do café sabe que a umidade está relacionada com a qualidade. A gente teria que adquirir este equipamento, e receber ele gratuitamente é um passo melhor, porque não precisamos tirar do valor da colheita para comprar, além de ser utilizado por toda a comunidade ”, disse o produtor de café do Caxixe Quente, Evandro Cesconeto.

“Faço referência a esta gestão que em relação ao café, houve significante progresso, para isso a Prefeitura de Castelo está disponibilizando uma equipe técnica e somos o maior produtor de café Conilon no Estado, as coisas já melhoraram bastante ”, concluiu o chefe do Escritório Local do Idaf de Castelo, João Batista Machado Campos.


Fonte: Assessoria de Comunicação de Castelo

pube