Geral

Afinal, há o risco de javalis e javaporcos invadirem o Espírito Santo?

por Fernanda Zandonadi e Leandro Fidelis

em 15/10/2021 às 14h13

3 min de leitura

Afinal, há o risco de javalis e javaporcos invadirem o Espírito Santo?

Foto: Pixabay

O Espírito Santo está em alerta para a possibilidade de javalis invadirem terras capixabas, especialmente pela região Noroeste, na divisa com Minas Gerais. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) está fazendo o monitoramento dos animais. A ação é prevista pelo Plano Anual de Biodiversidade (Planabio).

“Tivemos um contato com o Ibama e eles nos alertaram sobre a possível entrada do javali no Estado pelas divisas. Eles nos orientaram também para falarmos com agricultores. Mas faremos isso junto a outros órgãos, para podermos alcançar a todos. Não tivemos, ainda, relatos deles nas proximidades”, disse o secretário de Meio Ambiente de Mantenópolis, Weverton Paizante.

pube

Já há registros da presença de javalis em quinze unidades da federação: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Distrito Federal, Roraima, Tocantins, Maranhão, Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo e Rio de Janeiro, de acordo com informações do site do Ibama.

O animal é classificado como uma das cem piores espécies exóticas invasoras do mundo, continua o site. “Sua agressividade e facilidade de adaptação são características que, associadas à reprodução descontrolada e à ausência de predadores naturais, resultam em uma série de impactos ambientais e socioeconômicos, principalmente para pequenos agricultores”.

Segundo o secretário de Meio Ambiente de Ecoporanga, Gilson Rodrigues de Oliveira, a prefeitura já orienta aos produtores rurais e moradores de regiões de divisa sobre a possibilidade da presença dos javalis. “É uma coisa nova para a gente, mas não há registro na região. Estamos conversando com os moradores próximos à divisa com Minas, para ficarem atentos. Mas, por enquanto, não temos relatos de aparecimento do javali por aqui”, conta.

Segundo a nota do Ibama, “o trabalho é realizado como prevenção e conta com o apoio dos municípios capixabas, inicialmente, os que estão na divisa com Minas Gerais. Caso seja verificada a presença desses animais, é necessário comunicar os órgãos ambientais”.

Javalis e javaporcos

Os javalis surgiram de um descuido no momento do manejo da espécie em cidades do Sul, Sudeste e parte do Centro-Oeste brasileiro. Eles foram introduzidos no Brasil na década de 1960, para consumo de carne. Vários conseguiram escapar e cruzaram com porcos domésticos. Como resultado, um animal batizado de javaporco. Além de maior, o javaporco se reproduz com mais rapidez. Dessa história, surgiu o problema. O animal híbrido invade florestas, espanta animais nativos, pisoteia nascentes, destrói lavouras e ataca outros animais e até pessoas.

Uma reportagem do Diário do Comércio, de Minas Gerais, apontou que além da reprodução descontrolada, esses animais não têm predadores naturais, o que faz a população de javalis e javaporcos aumentar mês a mês. Na publicação, há ainda o alerta para a possibilidade de os animais serem vetores da Peste Suína Clássica (PSC).

pube