pube
Cooperativismo

Coopbac exporta pimenta pela 1a vez para a Europa

por Redação Conexão Safra

em 10/02/2016 às 0h00

3 min de leitura

PRODUTO FOI EMBARCADO NO PORTO DE VITÓRIA ONTEM E DEVE SEGUIR VIAGEM HOJE RUMO AO MERCADO EUROPEU

São Mateus &ndash, A Cooperativa dos Produtores Agropecuários da Bacia do Cricaré (Coopbac) realiza a primeira exportação de pimenta-do-reino para o mercado europeu.

Segundo o presidente Erasmo Negris, 15 toneladas do produto foram embarcadas num contêiner de 20 pés ontem e deve seguir hoje do Porto de Vitória com destino a Europa.

São Mateus é o município polo pipericultor do Espírito Santo, com cerca de 50% da produção do Estado.

exemplo, no Distrito de Itauninhas, em São Mateus, e em Pe. Ele afi rma que, até então, a Coopbac trabalhava, exclusivamente, com o mercado interno de pimenta-do-reino. A nova postura de comercializar o produto diretamente com o mercado europeu partiu dos próprios cooperados por meio do diagnóstico do realinhamento do planejamento estratégico da cooperativa.

“Eles demandaram esta postura da direção visto que o crescimento no plantio e de lavouras em São Mateus, como também em cerca de 40 municípios capixabas, oportuniza a Coopbac a obter um estoque regulador em condições para oferecer o produto ao mercado externo ”, sustenta Erasmo. Erasmo frisa que o trabalho realizado ao longo dos anos com os cooperados, com a participação dos institutos de pesquisas, têm resultado num produto com maior densidade, até acima das expectativas das normas federais.

E a qualidade da pimenta-do-reino de São Mateus é um dos pontos que proporcionaram à Coopbac conquistar a Europa, considerado um mercado conservador. Segundo o presidente, os produtores estão com um melhor trato da cultura, além da preocupação socioambiental e de sustentabilidade, com irrigação e adubação da lavoura no momento certo. Este primeiro contêiner viaja com pimenta-do-reino do núcleo de cooperados da ‘região dos quilômetros’.

A cooperativa tem outros núcleos, como por exemplo, no Distrito de Itauninhas, em São Mateus, e em Pedro Canário. “O Espírito Santo já produz uma pimenta de alta qualidade. Alinhando a sustentabilidade do setor nos quesitos ambiental, trabalhista e social, a expectativa é ganhar, a cada dia, mais fatia do mercado mundial ”. Erasmo acrescenta que a perspectiva é do consumo mundial de pimenta-do-reino aumentar, assim como continuar evoluindo a qualidade do produto oferecido pelo Coopbac. Ele reforça que, mesmo com o aumento do número de lavouras em outros municípios, São Mateus continua líder na produção capixaba de pimenta-do-reino. “A cultura vem ganhando protagonismo desde a realização do Primeiro Workshop da Pimenta-do-reino em 2015, em que fi cou evidenciado a importância econômica deste produto agrícola para a economia do Espírito Santo. A partir do workshop, a Seag criou o comitê gestor da pipericultura em recente edital da Fapes destinando oitocentos mil reais para a pesquisa do produto ”.

pube



CONTEÚDO JORNALÍSTICO E FOTOS GENTILMENTE CEDIDOS PELA TRIBUNA DO CRICARÉ

pube