pube
Comunicação dos Parceiros

Odebrecht Ambiental prepara educadores para a criação de projetos nas escolas

O curso de Formação Continuada para o Saneamento realizado pela Odebrecht Ambiental na última quarta-feira...

por Redação Conexão Safra

em 18/04/2016 às 0h00

4 min de leitura

pube
O curso de Formação Continuada para o Saneamento realizado pela Odebrecht Ambiental na última quarta-feira, 13 de abril, reuniu pedagogos de 14 escolas no auditório da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) da concessionária. Direcionado a representantes de escolas públicas e particulares de Cachoeiro de Itapemirim, a qualificação foi a primeira etapa do Programa “A História do Saneamento ”, desenvolvido pela Odebrecht Ambiental com o objetivo de promover uma participação efetiva da comunidade educacional no processo de saneamento básico do município.

Como parte do programa, os educadores terão o papel de orientar e incentivar alunos da educação básica a apresentarem projetos sobre os avanços alcançados no saneamento básico de Cachoeiro. Em outubro, está prevista a realização de uma Mostra Científica, onde uma banca de avaliadores indicará o melhor trabalho.

“Nosso objetivo é que o programa estimule a pesquisa, a produção de textos, dados e fotos relacionados ao saneamento básico de Cachoeiro de Itapemirim. Por isso, durante o curso abordamos temas como Sustentabilidade, Saúde e Saneamento, Avanços no Saneamento e Preservação Ambiental no município ”, destaca Micheline Bernabé, da área de Responsabilidade Socioambiental da Odebrecht Ambiental.

Micheline Bernabé enfatiza também a importância de os educadores promoverem ainda mais a interação família-escola no debate sobre saneamento básico. “Dentre as atividades do programa está a realização de uma Mostra Científica, na Praça de Fátima, que será feita em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, a Superintendência Regional de Ensino e instituições particulares de ensino. Com iniciativas como esta esperamos atrair a população para o debate e a mudança de hábitos relacionados ao saneamento ”, finaliza.

Durante o curso, o professor e biólogo da Secretaria Municipal de Educação, Paulo Arantes, falou sobre sustentabilidade ambiental, saneamento e doenças. Segundo ele, a turma de pedagogos mostrou-se bastante participativa e comprometida, fazendo inclusive uma avaliação positiva no final da capacitação e despertando o interesse em levar o projeto para as escolas.

“Pela motivação do grupo durante o curso, a expectativa é que haverá adesão à proposta do programa, embora isto dependa também das gestoras das escolas. Penso que o clima é favorável, pois já recebi alguns convites para fazer apresentações para os professores nas escolas ”, afirmou Arantes, acrescentando que toda a programação e o regulamento para o desenvolvimento, a apresentação, a avaliação e a escolha do melhor trabalho desenvolvido pelos alunos serão feitos junto com os pedagogos das escolas que aderirem ao programa.

Os pedagogos participantes elogiaram a iniciativa e já começaram a fazer um trabalho de sensibilização nas escolas. “Achei muito importante o curso e já repassei para os professores da escola onde trabalho, mas a decisão final será da gestora. O projeto é para turmas do 6º ano, mas a minha intenção é trabalhar com alunos do 5º ano fazendo uma adaptação ao projeto História de Cachoeiro de Itapemirim que estamos desenvolvendo internamente na escola. Vamos inserir uma parte sobre saneamento básico e começar a preparar já as turmas do 5º ano, para que elas cheguem ao 6º ano mais capacitadas para pesquisas mais aprofundadas ”, relatou a pedagoga Kátia Nogueira dos Santos, da Escola Municipal de Educação Básica Professor Florisbelo Neves, do bairro Novo Parque.

Também a pedagoga Rita de Cássia Farias Mello Azevedo, da Escola Municipal de Educação Básica Professor Valdir Freitas, do bairro Paraíso, gostou do curso e já fez uma reunião com os professores para discutir o assunto. “Tudo o que envolve o planeta, a água e o meio ambiente, a escola abraça. Já sentei com o planejamento e devemos aderir ao projeto para trabalhar com as turmas do sexto ano ”, ressaltou.


pube