pube
Comunicação dos Parceiros

Indicador de sustentabilidade ambiental será utilizado pela Assistência Técnica e Gerencial do SENAR

por Redação Conexão Safra

em 04/12/2015 às 0h00

4 min de leitura

pube
Assunto obrigatório na agropecuária moderna e uma exigência cada vez maior do mercado, a sustentabilidade também estará inserida na Assistência Técnica e Gerencial do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR). Para tanto, um grupo de 14 coordenadores e supervisores regionais está sendo treinado dentro da metodologia Indicadores de Sustentabilidade em Agroecossistemas (ISA) a partir desta terça-feira (1º/12), na Escola Superior do Agronegócio Internacional, próxima a Brasília.

A capacitação, que ocorre até o dia 3 de dezembro, reúne representantes de Mato Grosso do Sul, Tocantins, Bahia, Maranhão, Espírito Santo, Goiás e Distrito Federal. Além de receber orientações sobre o sistema, os participantes vão fazer uma simulação de uma aplicação do ISA em uma propriedade rural e a elaboração de plano de adequação ambiental, social e econômica de um imóvel rural.

Segundo o coordenador de Assistência Técnica e Gerencial do SENAR, Matheus Ferreira, o assunto sustentabilidade é uma prioridade dentro da instituição e passará a ser um tema transversal tanto na assistência técnica quanto na Formação Profissional Rural. Matheus explica que esse é o primeiro treinamento e que a intenção é fazer com os que os participantes se tornem multiplicadores da ferramenta para os técnicos de campo dos seus Estados.
“O grande objetivo deste treinamento é difundir o tema da sustentabilidade ambiental nas propriedades atendidas. Pretendemos integrar as informações coletadas pelo sistema com o banco de dados técnico e econômico que já existe e, assim, fazermos a correlação entre a questão ambiental e o retorno econômico. Outra vantagem é a possibilidade de inclusão do Cadastro Ambiental Rural (CAR) na ferramenta e nos prepararmos para quando o Programa de Regularização Ambiental (PRA) for obrigatório ”, destaca.

Desenvolvida pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), a metodologia ISA permite a avaliação, o diagnóstico e o monitoramento da sustentabilidade da propriedade. De acordo com o coordenador do sistema e pesquisador da Epamig, José Mário Lobo Ferreira, o ISA está em uso em duas mil propriedades e 740 técnicos já foram capacitados na metodologia em Minas Gerais.
“É um instrumento auxiliar para a assistência técnica e a tomada de decisão do produtor, pois possibilita verificar a evolução socioeconômica e ambiental da propriedade. Além disso, permite uma abordagem diferente do técnico, que antes focava nos índices zootécnicos. Agora, eles terão uma visão integrada da atividade ”, declara.

Sustentabilidade valorizada

A coordenadora de assistência técnica do SENAR no Espírito Santo, Cristiane Veronesi, avalia que a sustentabilidade é um conceito extremamente valorizado pelo mercado atual. Ela cita como exemplo a produção de cafés especiais que acontece no seu Estado.
“Um dos gargalos para a cultura de cafés especiais é justamente a questão da sustentabilidade. Queremos expandir para outras atividades também, como a agricultura orgânica, e a metodologia do ISA servirá para guiar a propriedade nesse âmbito. É uma exigência do mercado que não temos como fugir ”.

Na opinião do coordenador de programas do SENAR Bahia, Aloisio de Oliveira Júnior, a grande vantagem do sistema será a possibilidade de enxergar os ganhos financeiros que a gestão ambiental proporciona dentro da atividade. Outro benefício da ferramenta é o acesso a informações mais consistentes sobre a relação ambiental x econômica da propriedade.

“Precisamos de dados reais e não de estimativas e especulações, como acontece hoje em dia. O produtor e o mercado demandam isso. O ISA vai trazer para a prática essa questão da sustentabilidade ”, acredita.

pube