pube
Clima

Agricultores tentam se reerguer após temporal da última terça-feira

Tempestades com chuva, granizo e vento causaram prejuízos em lavouras de banana e café, além de galpões e moradias

por Leandro Fidelis

em 07/10/2022 às 16h30

3 min de leitura

Agricultores tentam se reerguer após temporal da última terça-feira

Em uma propriedade em São Roque do Canaã, 600 bananeiras foram destruídas pelo temporal. *Fotos: Divulgação

A noite de terça-feira (04) ainda está na lembrança de muitos agricultores do Espírito Santo. Tempestades com chuva, granizo e vento causaram prejuízos em lavouras de banana e café, além de galpões e moradias. Os relatos de destruição vêm de cidades como São Roque do Canaã, Itaguaçu e Santa Teresa.

No início da semana, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) havia emitido alerta de tempestade para 67 municípios capixabas. E vem mais por aí. Segundo o Climatempo, o deslocamento de uma frente fria, associada a um ciclone extratropical, e a circulação de ventos em vários níveis da atmosfera, provocam chuva e ventos fortes e granizo em várias áreas do Brasil no decorrer desta sexta-feira (07). No Estado, o alerta de atenção é para a região do Caparaó.

pube

Em São Roque do Canaã e regiões limítrofes com Itaguaçu e Santa Teresa, as comunidades de Tancredo, Itaçu, Cristo Rei, São Francisco de Assis, Alto Santa Júlia e São Braz foram as mais atingidas pelo temporal, que durou entre 20 e 25 minutos.

O produtor rural Elias Cassimiro Moreira conta que nunca viu uma tempestade dessa proporção. “Se a gente relatar, até assusta. Os prejuízos com a banana foram severos. Eu tinha 600 pés quase todos cacheando e não vou aproveitar nada, foi tudo pro chão. Algumas partes da lavoura sofreram bastante, até os brotos ficaram destruídos”.

Ainda segundo o produtor, lavouras de café em partes mais altas de São Roque do Canaã também sofreram com o desastre e um galpão caiu sobre um carro. “Fiquei dentro de casa rezando. O agricultor não desiste nunca. Estamos sujeitos a sol, chuva, vento, seca e a preço também, mas vamos sobreviver com fé em Deus”, disse.

A agricultora Eliana Peter (Itaguaçu) mostra tamanho das pedras de granizo.

Em outra localidade, o distrito de Itaçu, em Itaguaçu, muitas famílias tiveram prejuízo com a chuva de granizo. Circulam nas redes sociais fotos da devastação: muitas folhas de café e pinha de floração e pedras de granizo do tamanho de cubos de gelo na manhã seguinte ao temporal.

“Foi muito triste acordar de manhã e ver as lavouras. Também tivemos prejuízo com banana. Com a força do vento, muitos pés caíram e as que se mantiveram de pé ficaram destruídas pelo granizo. Sem contar a minha casa que tinha cobertura de eternit e virou uma peneira. Mas agora é trabalhar o dobro para conquistar tudo de novo”, relatou a agricultora Eliana Peter Soares.