pube

Silas Brasileiro

Colunista Conexão Safra.

MAIS CONTEÚDOS
Artigo

Especulação penaliza o produtor de café brasileiro

por Silas Brasileiro

em 24/10/2022 às 9h14

2 min de leitura

Especulação penaliza o produtor de café brasileiro

Foto: divulgação CNC

A próxima safra de café no Brasil – tradicionalmente por ser um ano ímpar – deverá ser avaliada com muita precaução, pois além disso, está comprometida por fenômenos naturais como La Niña, mudanças climáticas adversas, temperaturas elevadas, que devem ser vistos como ameaças à cafeicultura nacional.

A falta de chuvas já afetou a primeira florada ocorrida em agosto, fazendo com que houvesse seu abortamento. A segunda e mais recente, está seriamente comprometida pela ausência de chuvas, já verificando um prognóstico negativo com relação ao café a ser colhido. Como se isso não fosse o bastante, ainda temos a tempestade de granizo ocorrida em algumas regiões.

pube

No entanto, como sempre, os sites internacionais já começaram a publicar suas previsões, na contramão do que estamos vivenciando, sem dúvidas, atendendo interesses do mercado consumidor que se aventura a fazer prognóstico de safra no sentido especulador, penalizando assim, os produtores de café. Mesmo que tenhamos uma normalização climática, ainda assim, avaliamos sério comprometimento na safra 2023/2024.

Diariamente, temos visto enorme pressão sobre os preços, faltando o entendimento dos compradores de que estão trabalhando contra eles próprios, sufocando os produtores que hoje cultivam com elevados custos de produção, com a indefinição do mercado e com a falta de renda. É impossível não atentar para o efeito climático extremamente danoso para a produção de café.

Estamos alertando e lançando um desafio: ou o mercado reconhece que o produtor não pode continuar com essa indefinição e pressão diárias, com a manifestação daqueles que buscam a desvalorização do café ou em curto prazo, aí sim, não teremos como abastecer o mundo consumidor.

O Conselho Nacional do Café (CNC) é um braço operacional da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e dentro do Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC) defende permanentemente, junto a esse colegiado, a renda para os cafeicultores e a produção dentro dos princípios da sustentabilidade.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Clique aqui.