Workshop

Produção e gestão de cervejarias artesanais são debatidas em workshop 

por Redação Conexão Safra

em 05/05/2017 às 0h00

4 min de leitura

Produção e gestão de cervejarias artesanais são debatidas em workshop 

A economia criativa é uma nova tendência na economia capixaba, como as cervejas artesanais. O dia a dia do mestre cervejeiro, a forma de preparo da cerveja e a gestão de micro cervejarias foram apresentados e debatidos durante o II Workshop de Cervejas Artesanais, que reuniu mais de 200 pessoas nesta sexta-feira (05) na Escola Técnica Vasco Coutinho Vila Velha. O evento contou com a presença de profissionais capixabas, de Minas Gerais e do Rio Grande do Sul.


O evento foi promovido pela Associação dos Cervejeiros Artesanais do Espírito Santo (Acerva-ES) em parceria com a Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), a Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação (Secti), o Sebrae, DVF, a Federação de Indústrias do Espírito Santo (Findes), o Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) e o Sindicato das Indústrias de Bebidas em Geral do Espírito Santo (Sindibebidas).


Proprietário da Cervejaria Backer, em Minas Gerais, Sandro Duarte apresentou e debateu a função do mestre cervejeiro e a gestão de produção. O auditor fiscal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Vitor Campos, falou sobre a legalização da produção dos paneleiros. André Bettiol, da Cervejaria Tupimiquim, do Rio Grande do Sul, abordou o tema do dia a dia na função do proprietário do empreendimento. E ao final foram apresentadas as linhas de financiamento do Bandes.


Segundo o secretário de Estado da Agricultura, Octaciano Neto, a economia criativa está crescendo e, nos próximos dias, o Governo do Estado estará encaminhando à Assembleia Legislativa projeto de lei para reduzir o ICMS da produção das cervejas artesanais.


“Ter o segundo ano seguido com mais de 220 pessoas inscritas, com uma série de eventos acontecendo, como o curso profissionalizante de cervejeiros no Vasco Coutinho, o workshop, mostram que nova economia do Espírito Santo cada vez mais vai se expressar pela economia criativa. E o governo veio ao Workshop trazer a Acerva-ES e a informação de que nos próximos dias será encaminhado um projeto de lei à Assembleia de incentivo ao setor para reduzir a carga tributária como uma forma de gerar emprego, renda e atividades turísticas ”, disse Octaciano Neto.


O presidente da Acerva-ES, Sandro Rizzato, destacou que estão sendo oferecidos diversos cursos de capacitação para os cervejeiros capixabas e que a iniciativa de realizar o evento em conjunto com as diversas instituições fortalece o setor. “É uma grande oportunidade de movimentarmos o setor no Estado e capacitar nossos cervejeiros ”, disse.


As atividades têm sequência neste sábado (06) e neste domingo (07) com a realização do I Congresso Técnico de Cervejas Artesanais. As inscrições para este evento foram realizadas pela Acerva-ES.


Cervejas artesanais


O diferencial das cervejas artesanais para as cervejas industriais está no processo de fabricação, que, além de ser feito em menor escala e com o foco na qualidade, também é um processo mais lento, pois respeita os períodos de fermentação e maturação que acontecem naturalmente, não adicionando produtos químicos para acelerá-los. Além disso, a base das cervejas artesanais conta com apenas quatro ingredientes: água, malte, lúpulo e levedura, e não levam adição de açúcares de outras fontes. Como existem diferentes graus de tosta do malte, e variações diversas de leveduras e lúpulos, existe um número enorme de combinações que podem ser criadas.


A fabricação de cervejas artesanais tem aumentado e representa 5% do mercado da bebida. Segundo informações da Associação dos Cervejeiros Artesanais do Espírito Santo (Acerva-ES), a produção de cerveja artesanal no estado é, atualmente, de aproximadamente 40 mil litros por mês.

Clique aqui e receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro do que acontece no agronegócio!