pube
Opinião

Produtor de sucesso motiva pecuaristas de leite em evento no sul do estado

Em encontro realizado em novembro, a Selita convidou o produtor Nivaldo Michetti para apresentar seu caso de sucesso na pecuária leiteira

por Redação Conexão Safra

em 03/02/2016 às 0h00

4 min de leitura

De sucesso na propriedade leiteira, o produtor Nivaldo Michetti entende bem. Ele apresentou seu caso durante o Encontro de Pecuária Leiteira realizado pela Selita, em Atílio Vivacqua, município do sul do estado, em novembro.

A produção leiteira mudou sua vida, como apresentado na palestra, mais motivacional do que propriamente técnica. “A intenção foi de levar aos presente ânimo, considerando que tendo saído do ‘nada’ consegui, com minha família, grande mudança de vida, inclusive e principalmente, resgate da dignidade de homem do campo, que passou a entender a sua importância dentro da sociedade ”, apontou Michetti.

Hoje sua vida é completamente diferente e produzir leite se tornou uma maneira de garantir subsistência com equilíbrio e sustentabilidade. Para Michetti, há bons motivos para se investir na produção de leite no Brasil.

“O principal fator é me permitir certa autonomia, fato que nem sempre ocorre em várias outras atividades. Outro ponto positivo que vejo, é que por ser uma atividade que exige perseverança, no entanto, isso não se encaixa no espírito do nosso povo, muito dado ao modismo e em enriquecer rápido, por isso vemos tanta gente saindo da atividade. Outro ponto ainda é o fato de saber que o produto leite sempre faltou no mercado brasileiro, haja vista que não conseguimos a autossuficiência na produção. Isso fica muito claro toda vez que explodem os preços, nas entressafras, numa tentativa bem sucedida de conter o consumo e não acontecer o desabastecimento total, o que seria caótico ”, define o produtor

pube
Consumismo e oportunidades

Michetti também aponta para os riscos do consumismo. Precisamos aprender a ganhar e a não gastar tanto. Esse é o segredo. Na propriedade, os gastos são sempre os mesmos e em tempos crise o ganho cai. O dinheiro é um péssimo conselheiro, porque faz criar vontade de gastar, sem necessidade. Precisamos desenvolver métodos, que chamo de práticas abolicionistas, como pastejo rotacionado, alimentação, genética, infraestrutura, cocho trenó e cuidados com o solo.

Essas práticas acabam com os costumes errados e contribuem com o ganho de dinheiro, o ano inteiro.

Nivaldo se mostra muito grato à assistência técnica que recebeu de um técnico, em rua região. “Aprendi muito com ele. Que o mais importante é oferecer condições para que o seu rebanho produza. Os animais precisam de água, sombra e alimentação de qualidade. E alimentação de qualidade não é só com cana e ureia, aprendi a inserir o enxofre na mistura, mas sempre com orientação técnica. Não dá para arriscar ”, finaliza.



Os animais precisam de água, sombra e alimentação de qualidade. E alimentação de qualidade não é só com cana e ureia, aprendi a inserir o enxofre na mistura, mas com orientção técnica.

Nivaldo Michetti, de Paranaíta/MT iniciou na atividade leiteira aos 34 anos de idade com 11 animais mestiços em uma região sem tradição na atividade: Santana do Itararé/PR. Após oito anos de muitos desafios e pouca tecnologia, Nivaldo resolveu dar uma guinada em sua vida. Começou a ser assistido por um técnico e implementou as melhores práticas em seu negócio, transformando sua atividade e alcançando, assim, leite de alta qualidade a baixo custo.

Em pouco tempo virou referência e influenciador em sua região. Sua experiência o levou, e ainda o leva, a difundir as técnicas adotadas para outras regiões. Para Nivaldo, “alta tecnologia é a que promove lucro, independentemente de estar ligada a instalações ou a equipamentos. Alta tecnologia é aquele produto que me liberta, que facilita a minha vida. ”

,Nivaldo Michetti ministra palestras para produtores rurais em todo o Brasil, sem cobrar cachês ou honorários. “É minha missão motivar os agricultores. Faço isso dividindo minha experiência , para que o agricultor valorize mais a si mesmo e à nossa atividade ”.


pube