pube
Meio Ambiente

Viveiro para produção de mudas florestais é implantado na região serrana

por Redação Conexão Safra

em 08/04/2016 às 0h00

3 min de leitura

pube

Pesquisadores do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) agora tem um local para realizar pesquisas sobre os ativos naturais da Mata Atlântica. É que foi implantado no Centro Regional de Desenvolvimento Rural – Centro Serrano (CRDR-CS) um viveiro para produção de mudas florestais.

A região chamou a atenção desses pesquisadores pela riqueza em recursos naturais e biodiversidade. Antigamente a produção de café encontrava-se empobrecida devido à atual baixa nos preços do produto e, em termos ambientais, ao esgotamento e à intensificação da erosão do solo. A baixa nos preços e a escassez de mão-de-obra local, eram, possivelmente, os fatores de maior preocupação para os produtores. Assim percebeu-se que o cultivo de árvores nativas provedoras de produtos florestais não madeireiros de interesse econômicos seria uma alternativa que tanto diversificaria a produção quanto diminuiria a demanda por mão-de-obra.

Ao mesmo tempo foi observado o cenário nacional e o crescimento do mercado para frutas nativas, exemplo disso é a juçara nativa da Mata Atlântica que desponta como opção para substituição do açaí, que é nativo da floresta amazônica.

No processo de avaliação da infraestrutura do centro de pesquisa, foi constatado também que não havia condições para a abertura dessa nova linha de pesquisa, pois não havia espaços físicos, os equipamentos necessários para a execução de experimentos e não havia casa de vegetação com espaço suficiente para a instalação de novos experimentos.

Sobre o viveiro

O viveiro tem 160 m² e foi adquirido com o projeto FINEP 2013 e tem irrigação automática com espaço para produção de mudas tanto em sacolas ou em tubetes, com telas de sombreamento de 30%, 50% e 80%. Posteriormente será construído um galpão de 100 m² de apoio ao viveiro, onde serão processadas as sementes e armazenados os materiais de consumo.

O objetivo geral foi Implantar um núcleo multidisciplinar de pesquisa em recursos naturais, para tratar a conservação e uso sustentável de recursos vegetais, hídricos e edáficos, visando à mitigação dos impactos das mudanças climáticas e melhoria da qualidade de vida no campo.

Áreas de pesquisa

Várias áreas serão pesquisadas, entre elas, o uso econômico de recursos vegetais, incluindo Produtos Florestais Madeireiros e Não Madeireiros, as exigências ecológicas e o comportamento de espécies nativas sob condições diferenciadas, tanto em ambiente controlado como em campo, testar métodos e espécies para a recuperação ambiental de áreas críticas (áreas de preservação permanente, a pleno sol, alagadas, de mineração, de pastagens degradadas, de solos rasos ou erodidos), desenvolver e aplicar tecnologias para a conservação, recuperação e manejo de recursos hídricos (recuperação ambiental sob stress hídrico, armazenamento de água in situ, reuso, perdas de solo, água e nutrientes).

“No Brasil, o contraste entre a grande biodiversidade natural e a origem estrangeira da maioria das plantas alimentares chama a atenção. As espécies nativas possuem ao menos duas grandes vantagens em relação às demais: são melhor adaptadas às condições locais, requerem menos uso de fertilizantes químicos para seu cultivo, resultando menor impacto ambiental e maior saúde e economia para o produtor, são componentes naturais dos ecossistemas locais, fazendo parte da cadeia alimentar e não alterando as condições de sobrevivência para outras espécies do sistema ” ressaltou o pesquisador do Incaper e um dos responsáveis pelo viveiro, Thiago Godinho.

Fonte: Incaper

pube