pube
Meio Ambiente

Incaper realiza oficinas sobre agroecologia em São Gabriel da Palha

por Redação Conexão Safra

em 13/05/2016 às 0h00

3 min de leitura

pube
O uso indiscriminado de agrotóxicos vem se destacando como um dos problemas enfrentados pelos agricultores da região Noroeste Capixaba. Apesar disso, nem todos reconhecem os danos causados tanto para a saúde humana, quanto para o meio ambiente e tão pouco conhecem alternativas para o manejo de pragas e doenças das culturas.

Com o objetivo de atender esta demanda, o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), por meio do escritório local de São Gabriel da Palha, promoveu quatro oficinas tendo a agroecologia como tema central. As ações tiveram a participação de cerca de 100 agricultores familiares de comunidades rurais do município e beneficiários do Projeto ATER Sustentabilidade, contrato entre o Incaper e o Ministério do Desenvolvimento Agrário.

O trabalho foi realizado em parceria com a Escola Família Agrícola do Bley, a Escola Municipal de Educação Fundamental Francisco José Mattedi, localizada no Córrego General Rondon e o escritório local de Boa Esperança, com a participação do Técnico em Desenvolvimento Rural, Lozenil Rodrigues.

Foram mostradas uma série de práticas agroecológicas, visando uma produção mais sadia de alimentos. Dentre elas, a utilização de caldas orgânicas no manejo de pragas e doenças, que foi trabalhada com mais detalhamento a partir da preparação das caldas orgânicas (bordalesa, sulfocálcica e viçosa) e outras receitas naturais.

De acordo com o extensionista do Incaper em São Gabriel da Palha, Abel Lopes Costa, além da prática desenvolvida, houve a troca de experiências em agroecologia entre extensionistas e agricultores presentes. “Foi um momento de resgatar a importância do equilíbrio do agroecossistema, a partir do uso de práticas agroecológicas que assegurem a sustentabilidade dos sistemas de produção de base familiar e a melhoria da qualidade de vida ”, explicou.

Os agricultores também receberam uma apostila contendo orientações sobre práticas agroecológicas, inclusive o preparo de caldas e biofertilizantes.

Algumas práticas agroecológicas:

-Uso de plantas controladoras, aromáticas e repelentes de insetos (cravo de defunto, coentro, alho, alecrim),

-Consórcio de culturas utilizando plantas companheiras (girassol e milho, pimentão e feijão-vagem, cebola e alface, cebolinha e cenoura) e relação de plantas antagônicas (efeito da alelopatia),

-Controle biológico (Beauveria bassiana, Metarhizium e Trichoderma),

-Manejo e reciclagem da matéria orgânica através de compostagem e vermicompostagem,

-Nutrição de plantas através do uso fontes orgânicas,

-Adubação verde e plantas de cobertura (Mucuna, Lab-lab, crotalária, feijão guandu),

-Uso de microrganismos eficientes para a recuperação de solos,

-Preparo de biofertilizantes (Biofertilizante com palha de café, Biofertilizante com mamona),

-Uso do Nim Indiano no controle de insetos,

-Uso da urina de vaca na agricultura,

-Controle alternativo com o uso de caldas naturais (Caldo de fumo, Soro de leite, Manipuera, Extrato pirolenhoso)

-Influência das fases da Lua na agricultura,

Fonte: Incaper

pube