pube
Giro pelo Mercado

Exportação de cafés especiais ganha novo fôlego

por Redação Conexão Safra

em 29/01/2016 às 0h00

2 min de leitura

pube
Sabores únicos, misturas de grãos diferenciadas &ndash, os famosos blends – e muito espaço no mercado para crescer. A produção de cafés especias em terras paranaenses tem ganhado destaque safra após safra e, neste ano, um objetivo está bem claro: os clientes internacionais. Depois de uma safra 2015 nada produtiva devido às intempéries climáticas, os cafeicultores que focam num produto de qualidade acima da média – e maior valor agregado &ndash, buscam retomar o ritmo intenso de exportações, inclusive atingindo novos países da Europa e América do Sul, tanto com as embalagens tradicionais como as famosas cápsulas de sabores variados que conquistaram os consumidores de café nos últimos anos.

O primeiro levantamento do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Agricultura do Estado do Paraná (Seab) estima uma safra de café de 1,1 milhão de sacas neste ano, volume 18,6% menor em comparação ao 1,29 milhão de sacas colhidas na safra passada. Deste montante, estima-se que 5% a 10% são de cafés especiais, que possuem um tipo de manejo bem mais criterioso e diferenciado. Vale dizer que a redução do volume está fundamentada na bienalidade natural da produção cafeeira, que alterna uma safra de maior volume com uma de menor. A região de Jacarezinho se consolida com 55% da produção prevista, aliás, nos municípios do Norte Pioneiro é que são produzidos os cafés especiais do Estado. A colheita inicia no mês de junho.

pube