pube
Geral

Seag participa de Audiência Pública para debater crise hídrica no Estado

População e representantes municipais participaram, na noite desta terça-feira...

por Redação Conexão Safra

em 21/10/2015 às 0h00

3 min de leitura

pube
População e representantes municipais participaram, na noite desta terça-feira (20), da Audiência Pública da Comissão de Infraestrutura da Assembleia Legislativa do Espírito Santo para discutir a crise hídrica no Estado.

A Audiência Pública foi realizada a pedido do deputado estadual Marcelo Santos, que é vice-presidente da comissão, e contou com a participação do secretário Estado de Agricultura, Aquicultura, Abastecimento e Pesca, Octaciano Neto, da diretora-presidente do Iema, Sueli Tonini, do diretor de Infraestrutura Hídrica da Agerh, Robson Monteiro, do professor do Departamento de Engenharia Ambiental e Recursos Hídricos da Ufes, Antônio Sérgio e outras autoridades.

Durante o encontro, o secretário de Agricultura Octaciano Neto, reforçou as ações já realizadas pelo Governo do Estado e a importância da participação da sociedade na redução do consumo de água. “Já desenvolvemos ações de curto, médio e longo prazo, com o objetivo de garantir a preservação e a recuperação de mananciais, a reservação e a produção de água. Para que isso dê certo, não depende apenas do Governo, precisamos que a população coloque em prática ações de economia de água, que contribua ”, completa.

Um dos palestrantes foi o professor Antônio Sérgio que falou do atual cenário de abastecimento de água no Espírito Santo e, também, fez um comparativo com outras crises, tanto como a de falta de água, como a de muitas chuvas, que o Estado já passou. “Se resgatarmos dados de 40, 50 anos atrás, vamos descobrir que o Espírito Santo já passou muitas crises de excesso de água. Atualmente estamos sob influência do El Ni&ntilde,o, um fenômeno que ocorre de sete em sete anos e que afeta o clima, e estamos sofrendo com problemas de falta de água. São crises de diversas intensidades e que precisam ser contextualizadas ”, destaca o professor.

Questionamentos
O encontro discutiu as questões relacionadas ao uso racional da água, práticas sustentáveis como o uso de sistemas mais eficientes adaptados às culturas de cada município, e buscou ações eficientes para enfrentar longos períodos de estiagem. Além disso, ao final, os presentes puderam fazer perguntas e questionamentos.

Um dos questionamentos foi feito por Maria José Roque, sobre programas educativos a longo prazo que conscientizem a população sobre a necessidade de evitar o consumo exagerado ou desperdício de água.
Robson Monteiro, diretor de Infraestrutura Hídrica da Agerh, informou que o Governo do Estado tem trabalhado em diversas ações e citou o processo de elaboração de planos de bacias e licenciamento ambiental. Em complemento à resposta, Sueli Tonini, presidente do Iema, informou a realização de diversas oficinas para debater o Programa Estadual de Educação Ambiental, realizadas em primeiro momento nas 10 microrregiões do Estado, e que agora vem sendo realizadas em cada município, com os fóruns.

As audiências públicas são uma das formas de participação e de controle popular da administração estadual, com a finalidade de informar, discutir, tirar dúvidas e ouvir opiniões e demandas da população.


pube