pube
Geral

Produtos orgânicos direto da horta na feira da Ilha da Luz

Alface é um dos produtos cultivados em Cachoeiro comercializados na feira livreAlface é um dos produtos cultivados em Cachoeiro comercializados na feira livre

por Redação Conexão Safra

em 14/07/2014 às 0h00

2 min de leitura


Frutas e verduras sem agrotóxicos agora estão entre os itens comercializados na feira livre da agricultura familiar da Ilha da Luz, em Cachoeiro de Itapemirim. Cinco agricultores do município que receberam certificação orgânica recentemente oferecem seus produtos no local, todas as sextas-feiras, das 17h00 às 19h00.

Os consumidores encontram alface, couve, taioba, cenoura, quiabo, laranja, mexerica, cebolinha, repolho, abóbora, entre outros alimentos orgânicos. Para identificá-los, o feirante expõe o certificado na barraca, dando, assim, garantias ao comprador.

pube

Para alcançar a certificação, os produtores contaram com o apoio da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Semag). Ela oferece assistência técnica gratuita para incentivar a produção livre de substâncias químicas, como forma de garantir alimento de melhor qualidade para os moradores do município e, ainda, aumentar a renda da família do campo. Outros cinco agricultores buscam o certificado no município, e são assistidos pelo órgão.

“Além de serem mais saudáveis, os orgânicos são bons para o meio ambiente, já que a produção não contamina a natureza, e, também, para os produtores, que podem vender os alimentos por valor até 30% maior do que o dos convencionais ”, explica o secretário de Agricultura e Abastecimento de Cachoeiro, José Arcanjo Nunes.


Venda direta: mais lucro para o produtor


As feiras livres de Cachoeiro são organizadas pela prefeitura com o objetivo de fortalecer o homem do campo. Entre as vantagens de comercializar os produtos nelas, está a supressão do impacto dos atravessadores, que compram os produtos a valores baixos e comercializam para grandes redes de alimentação, supermercados e mercados, empobrecendo o pequeno agricultor.

As feiras possibilitam a comercialização a preços justos, favorecem a geração de renda e, com isso, ajudam a evitar o êxodo rural. Por isso, nos últimos anos, a Semag ampliou o número de feiras, de duas para quatro. “Nelas, é possível encontrar alimentos de qualidade, já que os produtos são frescos e vêm direto das hortas ”, destaca Arcanjo.


Fonte: Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim

pube