pube
Geral

Produtores rurais e estudantes participam de curso sobre irrigação em Sooretama

O manejo de irrigação foi tema de um curso voltado para...

por Redação Conexão Safra

em 27/07/2015 às 0h00

3 min de leitura

pube

O manejo de irrigação foi tema de um curso voltado para 35 produtores rurais e alunos de mestrado em Agricultura Tropical, da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), que foi realizado na Câmara Municipal de Sooretama na segunda (21) e terça-feira (22). O curso foi promovido pela Agência Nacional das Águas (ANA), por meio do Instituto de Pesquisa e Inovação na Agricultura Irrigada (Inovagri), do Ceará, e contou com o apoio do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) na mobilização dos convidados e organização do curso.


Os participantes foram orientados pela pesquisadora do Inovagri, Débora Costa Camargo. Na segunda-feira, ela deu uma palestra técnica sobre o manejo de irrigação e na terça-feira, todos foram conhecer a estação meteorológica da Fazenda Experimental do Incaper em Sooretama. Em seguida, visitaram a propriedade do senhor Reinaldo Menezes, na comunidade de Jueirama, onde tem um sistema de irrigação localizada por gotejamento.


O pesquisador da Fazenda Experimental de Linhares, Claudinei Antônio Montebeller, acompanhou o curso nos dois dias. “Existe um déficit em relação ao manejo de irrigação e, por isso, os produtores buscam no Incaper resgatar as informações, como a otimização do uso de água, que é a maximização da produção agrícola com uso de menor lâmina de água aplicada ”, destacou.


Para o engenheiro agrônomo e extensionista do escritório local do Incaper de Sooretama, Lucas Calazans, os produtores já tiveram problemas relacionados à falta de água e nunca é demais rever quais são as maneiras eficientes de utilização dos recursos hídricos.



O Comitê de Bacias Hídricas (CBH) Pontões e Lagoas do Rio Doce, com recursos obtidos pelo uso da água, adquiriu 40 irrigâmetros que serão distribuídos na bacia. Sooretama foi um dos municípios contemplados, com três deles que serão instalados na microbacia do Córrego Cupido, uma região de grandes conflitos pelo uso da água, principalmente para uso da irrigação. Eles foram distribuídos da seguinte forma: um na cabeceira da bacia, um no meio e o outro em sua parte final. O objetivo do programa é que os produtores contemplados sejam modelo para os demais da região.


De acordo com a coordenadora do CBH, Dolores Colle, os irrigâmetros são equipamentos de fácil instalação e manuseio, além de ter um custo relativamente barato, o aparelho tem a capacidade de medir a lâmina d’água precipitada e de incluir facilmente a chuva no manejo de irrigação. Além disso, permite medir a quantidade exata de água para a cultura e o tempo de irrigação, sem usar cálculos ou gráficos especializados.


Fonte: Seag

pube