pube
Geral

Pesquisa do Incaper irá selecionar variedades de tangerina de mesa adaptadas às condições do ES

Uma pesquisa do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper)...

por Redação Conexão Safra

em 17/09/2015 às 0h00

3 min de leitura

pube

Uma pesquisa do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) irá selecionar variedades de tangerina de mesa, de acordo com as condições de solo e clima do Espírito Santo. Os experimentos estão implantados nas Fazendas Experimentais do Incaper em Cachoeiro de Itapemirim e em Domingos Martins.

O projeto, que recebe financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito Santo (Fapes), é coordenado pelo agente de pesquisa e inovação em desenvolvimento rural, Sebastião Antônio Gomes, que é engenheiro agrônomo e mestre em Fitotecnia/Citricultura.

“O objetivo do projeto é avaliar o comportamento de materiais genéticos superiores de tangerinas destinadas ao consumo de frutas frescas e sua interação com dois porta-enxertos, que permitam o escalonamento da produção, comercialização durante o ano e que sejam resistentes à doença fúngica e à mancha marrom de alternária ”, explicou o pesquisador.

Ele disse que serão selecionados materiais genéticos de tangerina com qualidade superior e que satisfaçam as exigências de mercado. “Serão avaliadas 12 variedades de tangerina em dois porta-enxertos em dois ambientes distintos. A partir do 3º ano, serão avaliadas as características físico-química dos frutos e vigor das plantas. Até o 6º ano da implantação serão avaliadas essas características, para posterior recomendação ”, falou Sebastião.

Além disso, serão selecionados materiais genéticos de tangerina que possibilitem a comercialização na entressafra. “Trabalharemos com materiais genéticos de tangerina de maturação precoce e tardia, de variedades sem sementes, variedades tolerantes à mancha marrom de alternária, que permitam diversificar os materiais genéticos dos pomares e atingir diferentes mercados consumidores ”, reiterou Sebastião.

Os experimentos serão conduzidos em dois ambientes distintos, Fazenda Experimental de Bananal do Norte (FEBN), situada no distrito de Pacotuba, município de Cachoeiro do Itapemirim, onde o clima é quente e úmido, com estação seca em outono-inverno. O outro é a Fazenda Experimental Mendes da Fonseca (FEMF), situada no distrito de Aracê, município de Domingos Martins, localizada em uma região que apresenta clima tropical chuvoso, com inverno seco e verão chuvoso.

Esse projeto de pesquisa é importante porque o uso de novas cultivares dará maior competitividade à citricultura capixaba com o objetivo de aumentar a produtividade e melhorar a qualidade da fruta para o mercado in natura. “O projeto também é importante porque implicará na ampliação da oferta de frutos em épocas de menor disponibilidade, beneficiando toda a cadeia produtiva ”, relatou o pesquisador Sebastião Antônio Gomes.

Esse projeto é desenvolvido pelo Incaper com a parceria do Instituto Agronômico de Campinas-SP (IAC), por meio do Centro de Citricultura “”Sylvio Moreira”” e da Fapes.


Fonte: Incaper

pube