pube
Geral

Milho: Após perdas recentes, mercado esboça reação e trabalha em campo positivo na CBOT

por Redação Conexão Safra

em 05/03/2015 às 0h00

2 min de leitura

pube
No pregão desta quinta-feira (5), os futuros do milho negociados na Bolsa de Chicago (CBOT) trabalham com volatilidade. Por volta das 13h19 (horário de Brasília), as principais posições do cereal exibiam leves ganhos e o vencimento maio/15 era cotado a US$ 3,92 por bushel, com alta de mais de 3 pontos.

Apesar do movimento bastante técnico e a tentativa de manutenção do patamar dos US$ 3,80 por bushel, outras variáveis têm influenciado o andamento dos negócios. Nesta quinta-feira, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) reportou novo boletim de vendas para a exportação.

Até o dia 26 de fevereiro, as vendas de milho ficaram em 828,100 mil toneladas do grão para a safra 2014/15. O número representa um crescimento de 16% em relação à semana anterior, na qual, foram vendidas 715,9 mil toneladas. Ainda assim, em comparação com a média das últimas quatro semanas, a queda é de 5%.

Durante o período, o principal comprador do produto norte-americano foi a Arábia Saudita, com 285,300 mil toneladas de milho. Em segundo lugar, ficou o Japão, com 262,00 mil toneladas.

Ainda hoje, o Sistema de Informação do Mercado Agrícola (AMIS), órgão do G-20, estimou a produção mundial de milho da safra 2014/15 em 1,022 bilhão de toneladas, contra 1,011 bilhão do ano anterior. Já os estoques globais, deverão ficar ao redor de 210 milhões de toneladas, contra 208 milhões de toneladas estimados no mês anterior.

A projeção está acima do último número indicado pelo USDA, de 991,29 milhões de toneladas de milho. Os estoques foram projetados em 189,64 milhões de toneladas. Em recente divulgação, o Conselho Internacional de Grãos (IGC, na sigla em inglês) estimou a produção mundial de milho da safra 2015/16 em 938 milhões de toneladas.

BM&F

Na BM&F, os futuros do milho operam em alta pelo 3º dia consecutivo. Por volta das 12h34 (horário de Brasília), os contratos exibiam valorizações entre 0,10% e 0,24%. O vencimento maio/15 era cotado a R$ 29,52 a saca.

Mais um dia, os preços do cereal têm sido impulsionados pela forte valorização do câmbio. Nesta quinta-feira, a moeda norte-americana chegou a bater os R$ 3,00, mas por volta das 12h30, era vendida a R$ 2,9952, com ganho de 0,48%.

Por: Fernanda Custódio, do site Notícias Agrícolas

pube