pube
Geral

“Laranja da Terra receberá “”Alimentação Escolar sem Resíduos de Agrotóxicos”””

O projeto também prevê um trabalho com os produtores pelo qual receberão orientações para o cumprimento das exigências para aplicação de agrotóxicos

por Redação Conexão Safra

em 24/02/2014 às 0h00

3 min de leitura

O Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf) inicia nesta sexta-feira (21), em Laranja da Terra, o projeto “Alimentação Escolar sem Resíduos de Agrotóxicos ”, em parceria com a Secretaria de Educação do município. O objetivo é capacitar os professores da rede municipal para trabalharem em sala de aula o tema dos agrotóxicos.

A engenheira de alimentos do Idaf, Eliany d’Ávila, explica que nesta etapa os docentes conhecerão o projeto e a metodologia proposta. “Em um segundo momento, realizaremos a capacitação dos professores especificamente sobre os agrotóxicos, seus riscos à saúde e ao meio ambiente e o uso correto dos produtos ”, explica Eliany.

pube

Para o engenheiro agrônomo do Idaf, Denevaldo Filete, é fundamental abordar o assunto nas escolas, sobretudo na zona rural onde muitas famílias são formadas por produtores rurais. “Precisamos que esse conhecimento chegue às pessoas que fazem uso do agrotóxico para que elas utilizem esses produtos de forma responsável. Como vários agricultores comercializam seus produtos para a merenda escolar, todos saem ganhando com a adoção de boas práticas no campo ”, diz o engenheiro agrônomo.

O projeto também prevê um trabalho com os produtores pelo qual receberão orientações para o cumprimento das exigências para aplicação de agrotóxicos, sobre a correta utilização dos equipamentos de proteção individual (EPI) e ainda, com apoio do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), receberão instruções para manejo de pragas. “Além da oferta de alimentos saudáveis, também temos uma preocupação com as pessoas que aplicam os agrotóxicos. Muitas vezes, pela falta de hábito mesmo, muitos dispensam o uso do EPI colocando em risco sua saúde ”, alerta Denevaldo.

Uma outra abordagem será feita diretamente com os produtores rurais, com o auxílio da Secretaria Municipal de Saúde por meio do Programa Saúde da Família (PSF). Os agentes de saúde também serão treinados para levar as informações aos produtores. “O apoio desses profissionais será de grande relevância, pois eles têm acesso direto aos produtores, contribuindo para a pulverização do conhecimento ”, diz Denevaldo Filete.

A última etapa do projeto irá contemplar a análise de resíduos de agrotóxicos em vegetais fornecidos pela agricultura familiar para a alimentação escolar. “O Idaf conta com um programa de monitoramento de resíduos que identifica, a partir de análises laboratoriais, se há excesso de agrotóxicos nos alimentos ou utilização de produto não autorizado para aquela cultura. Nossa busca é pela garantia de alimentos com cada vez mais qualidade ”, diz a engenheira de alimentos, Eliany d’Ávila.


Fonte: Idaf

pube