pube
Geral

Incaper destaca importância da alimentação na produção de leite

No período de seca ocorre...

por Redação Conexão Safra

em 25/08/2015 às 0h00

3 min de leitura

pube
A alimentação animal é muito importante para a produção eficiente da vaca leiteira. Por isso, o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural reeditou os folders “Produção de leite a pasto: levar o gado ao pasto e não o pasto ao gado ” e “Cana-de-açúcar + ureia: volumoso de baixo custo para o rebanho na seca ”.

De acordo com a Zootecnista e pesquisadora do Incaper, Mércia Regina Pereira de Figueiredo, para que haja produção de leite eficiente, a vaca leiteira precisa ter condições para expressar todo seu potencial produtivo. “É necessário ter boas condições ambientais, água de qualidade, instalações adequadas e alimentação em quantidade e qualidade suficientes ”, afirmou.

Segundo ela, a produção de leite a pasto é o sistema de alimentação animal predominante no Brasil devido à extensão territorial e ao clima que favorecem a produção de forrageiras tropicais. No Espírito Santo, a atividade está presente em todo Estado, evidenciando a importância social, econômica e cultural da bovinocultura leiteira.

“A produção de leite a pasto é um sistema em que o gado vai buscar o seu alimento no pasto, ou seja, não se corta capim para fornecer aos animais no cocho ”, informou a pesquisadora.

Esse sistema é baseado no manejo intensivo das pastagens, onde os animais têm acesso a um pasto de qualidade, permitindo uma produção de 10 a 12 kg de leite por vaca por dia. Nesse sistema de produção o pasto deve ser manejado e cuidado como uma cultura.

“A complementação da alimentação animal via ração contribui para potencializar a produção das vacas leiteiras. Porém, é preciso destacar que a ração não deve ser a base da alimentação. A base é uma boa pastagem. A quantidade de ração a ser fornecida aos animais vai depender da categoria, do nível de produção e do manejo adotado na propriedade ”, explicou Mércia.

Alimentação animal em períodos de seca

No período de seca ocorre a redução do crescimento das pastagens e como suplementação alimentar para os animais recomenda-se o uso de cana-de-açúcar e ureia. Trata-se de uma tecnologia simples, muito eficiente e de baixo custo.

Segundo a pesquisadora Mércia Regina, a cana-de-açúcar é uma forrageira que atinge seu máximo valor nutritivo durante o período seco do ano, quando a disponibilidade de forragem é baixa, e por isso é recomendada para alimentação animal. Outras vantagens como a alta produtividade por área, cultura perene, implantação e manejo simples, a relativa resistência a pragas e doenças, qualificam essa forrageira e a fazem ser muito utilizada pelos produtores de leite.

“O uso da mistura cana-de-açúcar e ureia é feito para garantir melhorias no valor nutritivo da cana-de-açúcar com o aumento nos teores de proteína bruta, que são normalmente baixos na cultura. O produtor, ao adotar essa prática, estará garantindo que sua produção se mantenha estável no inverno, fornecendo suplementação alimentar adequada para os animais em períodos de escassez de forragem, com baixo custo, e com melhorias na eficiência do seu sistema produtivo ”, falou a pesquisadora.

Para conhecer as publicações relacionadas à pecuária leiteira, acesse:


pube