pube
Geral

Gengibre: o grande aliado na perda de peso e infecções

Conhecido por suas propriedades antioxidantes, o gengibre ocasiona diminuição do risco de vários tipos de câncer e possui efeito anti-inflamatório

por Redação Conexão Safra

em 10/03/2014 às 0h00

3 min de leitura

Gengibre: o grande aliado na perda de peso e infecções

O gengibre é um aliado para quem procura ter uma vida saudável, sendo fonte de combate a infecções, processos inflamatórios, auxilia na perda de peso e na prevenção do câncer. A raiz pode ser encontrada nas Centrais de Abastecimento do Espírito Santo (Ceasa/ES) com o preço médio ofertado a R$ 4,91 o quilo.

Conhecido por suas propriedades antioxidantes, o gengibre ocasiona diminuição do risco de vários tipos de câncer e possui efeito anti-inflamatório.
Além disso, o gengibre acelera o metabolismo, aumentando a queima de gordura e, consequentemente, auxiliando na perda de peso. O valor nutricional do gengibre contendo em uma colher de chá é o equivalente a 2 calorias, 8 mg de potássio e teores insignificantes de gordura.

Segundo a nutricionista Mayara Magalhães, o componente ativo que proporciona os efeitos citados acima chama-se gingerol, que além da perda de peso, prevenção do câncer, entre outros fatores, alivia também os sintomas de enjoos e náuseas. “O gengibre é rico em
magnésio, que auxilia o bom funcionamento do sistema imunológico, que nos protege contra as doenças, além de auxiliar na saúde dos ossos e dentes ”, explica a nutricionista.


Suco detox de maçã verde, limão e gengibre


pube

Ingredientes

1 folha pequena de couve-manteiga

½ maçã com casca

Raspas de gengibre a gosto

400 ml de água gelada

suco de 1 limão

Preparo:

Higienize os alimentos. Pique a couve e a maçã. Raspe o gengibre e coloque tudo no liquidificador junto com a água. Depois de bater bem até ficar homogêneo, acrescente o suco de limão e bata mais um pouco. Não coe para manter as fibras. Sirva bem gelado.


Plantio e Colheita


Cultivado a céu aberto, o gengibre exige um espaçamento mínimo de 1,20 m entre linhas, e de 20 a 25 cm entre plantas.
No Espírito Santo, ele começa a ser plantado em setembro para que a colheita se inicie em julho e possa se estender até outubro e novembro. O plantio antecipado onera o custo de produção e os tardios proporcionam menores rendimentos.

No Espírito Santo, em 2013 foram produzidas 2.870 toneladas de gengibre destinadas ao mercado externo. Santa Maria de Jetibá e Santa Leopoldina são os maiores produtores do Estado, sendo que este último possui aproximadamente 100 hectares de plantação cultivados por 140 famílias.

De acordo com a Secretaria de Estado de Agricultura, Abastecimento, Aquicultura, e Pesca (Seag), somente no ano passado o Espírito Santo faturou U$ 4 milhões com o gengibre vendido para outros países. Em relação ao ano de 2012, o desempenho supera o preço médio em 84,4%, o volume de exportação em 17,6%, e as divisas em 118,3%.

O pesquisador do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), Carlos Alberto Simões, revela que o cultivo do gengibre exige muitos tratos culturais, sendo assim 62% do custo da produção destinados à mão de obra. “Os cuidados dos produtores geram raízes que chegam a pesar de três a cinco quilos ”, afirma Simões.


Fonte: Ceasa/ES

pube