pube
Geral

Expectativa para a safra 2016 de café é positiva, diz Nassar

"Ministro interino da Agricultura afirma que ""o mercado está enxuto"" e não deve haver grande impacto nos preços.."

por Redação Conexão Safra

em 25/01/2016 às 0h00

3 min de leitura

pube
O ministro interino da Agricultura e Secretário de Política Agrícola, André Nassar, afirmou nesta quarta-feira (20/1) que a expectativa para a safra 2016 de café é positiva. Durante apresentação dos dados do primeiro levantamento do ano feito pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Nassar celebrou a previsão de a safra ficar entre 49,13 milhões e 51,94 milhões de sacas de 60 kg de café beneficiado. “”A notícia é boa. Estamos vindo de uma safra pequena, com estoques baixos e algumas regiões tiveram quebra de safra. O mercado está enxuto””, ponderou.

Segundo ele, a tendência é não ter grandes impactos em preços, mesmo com uma safra volumosa, em virtude de o mercado estar enxuto. Ele salientou que o governo tem realizado vendas de café e que ainda nesta quarta-feira ocorrerá um leilão. “”Estamos fazendo leilão sem afetar os preços de mercado. O governo não pode parar e ficar vários anos sem vender””, disse.

O ministro interino explicou, ainda, que a expectativa, em virtude do volume e dos preços, é positiva para o comércio internacional de café este ano. “”A exportação do agronegócio, em 2015, caiu em receita e subiu em volume. Neste ano, teremos algum crescimento de volume e de receita e o café vai contribuir para isso””, avaliou.

Ele disse que não espera “”grandes surpresas”” para os preços internacionais dos produtos agropecuários em 2016. “”Estamos olhando para o que tem ocorrido com os preços internacionais, não estamos esperando grande surpresa, mas o produtor está protegido pelo câmbio””, afirmou.

Milho
O ministro interino da Agricultura e secretário de Política Agrícola disse nesta quarta que o governo pretende, em breve, dar início a venda dos estoques públicos de milho. Segundo ele, a decisão não tem relação com a demanda de produtores de proteína animal, que têm reclamado do preço do grão, mas é parte de uma política maior de trabalhar com estoques mais baixos.

Ainda assim, ele ponderou que a venda do estoque público, somado ao estoque privado de cerca de 10 milhões de toneladas, deve dar tranquilidade aos produtores de frango e suínos. “”Estamos terminando nossas negociações internas para venda do estoque de milho, ainda não posso falar em volume de venda””, afirmou.

Ele lembrou que o governo tem 1,3 milhão de toneladas de estoque do cereal e ponderou que “”não faz sentido”” carregar todo esse volume, por causa do custo. Além disso, ele observou que não há risco de desabastecimento no Brasil. “”O interesse do governo é fazer leilão. A gente continua trabalhando para terminar nossas negociações internas e vamos fazer da mesma forma que o café: vender sem afetar o mercado””, explicou.

Seguro rural
André Nassar saiu em defesa do programa de seguro rural. Segundo ele, o governo está dentro do cronograma de pagamentos às seguradoras. Para este ano, a previsão é de que o programa tenha R$ 741 milhões em subvenção. “”Executamos o programa em 2015 e agora em 2016 são R$ 741 milhões. Vamos quase que duplicar o número de produtores comparado a safra 2014/2015″”, afirmou. “”O programa está entrando em uma nova fase, de proteção da renda do produtor. Estamos em uma base mais estruturada e mais forte””, garantiu.

Fonte:
http://www.faes.org.br/

pube