Geral

Eventos festejam a colheita do morango em Pedra Azul

por Redação Conexão Safra

em 11/08/2014 às 0h00

7 min de leitura

Eventos festejam a colheita do morango em Pedra Azul

Em Pedra Azul (Domingos Martins), público da 27ª Festa do Morango vai se deliciar com derivados da fruta e conhecer sistema de plantio inédito


Leandro Fidelis


Shows musicais, exposição e concurso de qualidade do morango com premiação e comercialização da fruta e derivados fizeram parte da programação da Feira do Morango e 24º aniversário da Escola Família Agrícola. O evento aconteceu nos dias 28 e 29 de junho, em São João do Garrafão, no Distrito de Garrafão, em Santa Maria de Jetibá, e veio celebrar a colheita do morango no município, cujos cultivos ocupam uma área aproximada de 230 hectares.


Não tão distante dali, em Pedra Azul, Distrito de Aracê, em Domingos Martins, o evento mais tradicional em torno da fruta no Estado chega a sua 27ª edição nos dias 01, 02 e 03 de agosto. Com o lema “A tradição que se renova ”, a Festa do Morango tenta manter seu público fiel, com uma programação cultural e gastronômica, e a difusão de técnicas agrícolas.


As novidades na parte técnica prometem mais interação com o público na Área de Eventos “Morangão ”. Pela primeira vez, a Festa contará com uma estufa exibindo mudas de morango no local do evento. A iniciativa conta com apoio do Incaper. As mudas da variedade chilena poderão ser adquiridas no local.


Outra novidade é o sistema alternativo conhecido como “soilless ”, com a utilização de calhas de isopor no cultivo de morango. A técnica será trazida e apresentada no “Morangão ” pelos irmãos Gilberto e Fábio Almeida, de Minas Gerais.


Por esse método, o morango é cultivado em uma estufa, que protege as plantas das ações climáticas. A calha de isopor não permite oscilações bruscas de temperatura nas raízes e também oferece
o volume necessário de substrato para o bom desenvolvimento das plantas. Outro benefício tem relação com a ergonomia: as pessoas que cuidam do manejo da lavoura de morango, agora, trabalham em pé.


“Para se ter uma ideia da sanidade que este sistema oferece, o espaçamento que utilizamos é de 20 centímetros entre plantas, com duas linhas intercaladas por calha. Temos um adensamento grande de plantas com total sanidade, algo inviável no cultivo tradicional ”, afirma Gilberto.




Produção orgânica se destaca em Pedra Azul


Aos pés da Pedra Azul, o Sítio Penhazul é referência nacional em produção orgânica de morangos. Cultivada pela família Modolo, a um quilômetro do Parque Estadual da Pedra Azul, a fruta é livre de agrotóxicos e certificada com o selo “Orgânico do Brasil ”.

pube


Além da venda do produto in natura, o sítio recebe turistas interessados nas geleias exóticas à base de morango. Nas mãos de Penha e Marilza Modolo, mãe e filha, o morango orgânico é combinado com hortelã, gengibre, alecrim ou pimenta em geleias usadas em tira-gostos ou recheio de tortas e bolos.


De acordo com Marilza, os clientes aprovaram as criações logo nos primeiros testes, o que a estimulou a lançar no mercado de orgânicos o licor e o vinho de morango. Os produtos também são encontrados em comércios requintados da zona sul carioca, entre eles a loja do ator Marcos Palmeira, defensor da agricultura orgânica no Brasil.


Ao todo, as geleias do Penhazul são comercializadas em 22 pontos de venda. Em breve, a família Modolo vai lançar a versão light.




Pesquisadores do ES em livro sobre a cultura do morango


O conhecimento sobre a cultura do morango, produzido pelos pesquisadores capixabas tem sido reconhecido em âmbito nacional. Uma prova disso é a recente publicação do livro “”Como produzir morangos””, lançado pela editora da Universidade do Paraná (UFPR), que conta com a participação de três profissionais do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural- Incaper.


Dividido em 13 capítulos, o livro descreve de forma clara e precisa os aspectos técnicos e os detalhes fundamentais de um sistema de produção que respeita o meio ambiente e garante a produção de frutos com uma qualidade segura e certificada para o consumo. Além disso, a obra traz uma importante contribuição aos produtores de morango e poderá subsidiar os profissionais da extensão rural, os técnicos em geral, os professores, os pesquisadores e os estudantes.


A pesquisadora do Incaper Andréa Costa participa do capítulo que trata da origem, evolução e melhoramento do morangueiro. Já o pesquisador Hélcio Costa integra a obra com um capítulo sobre doenças do morangueiro e, em parceria com o pesquisador José Aires ventura, também aborda o manejo integrado de doenças do morangueiro.


De acordo com o chefe da área de pesquisa do Incaper e um dos autores dos capítulos do livro, José Aires Ventura, o Espírito Santo é pioneiro no trabalho com a cultura do morangueiro. “No início da década de 2000, o Instituto desenvolveu um trabalho de referência na área de fitossanidade, que o levou a ser conhecido nacionalmente. Por meio do manejo integrado, o morango passou a ser produzido praticamente sem a utilização de agrotóxicos, o que minimizou bastante os impactos ambientais ”, relatou Aires.


Ele também disse que os morangos capixabas acompanhados tecnicamente pelo Incaper passaram a receber um selo de rastreabilidade, por meio do Programa “”Morango Mais Saudável””. O consumidor conseguia identificar, pelo site do Instituto, a localidade de onde provinha o morango e que produtos eram utilizados no mesmo. “O Sistema de Acompanhamento do Morango das Montanhas do Espírito Santo foi uma forma de garantir a qualidade do produto, passando confiança ao consumidor. Esse contexto contribuiu para que o Estado se tornasse uma referência na área ”, disse José Aires.


Para adquirir o livro, basta acessar o site da Editora UFPR, por meio do link http://www.editora.ufpr.br/portal/livros/como-produzir-morangos/. (*Com informações do Incaper).




Colhe e pague de morangos


Qual a sensação de degustar o morango que você próprio colheu do pé? Pergunte a quem já foi ao Sítio Herança, em Nossa Senhora do Carmo, a 1,5 quilômetro da BR-262 em Pedra Azul. Há mais de 15 anos, o casal Deoni Pereira e Ângelo Uliana é pioneiro no sistema “colhe-pague ”, fazendo as famílias de turistas encherem a cestinha de deliciosos morangos.


O plantio de morango é diversão garantida para pessoas de todas as idades, especialmente as crianças dos grandes centros, que vivem bem longe da realidade da vida no campo.


&Eacute, o caso da pequena Maria Eduarda, de dois anos, que mora em Vitória e esteve recentemente visitando o sítio. “Para ela está sendo mágico esse momento ”, disse a empresária Angélica Lyra, mãe da menina. “Quero fazer doce de morango ”, completou Eduarda.


Os pés de morango são da variedade camarosa, mais doce e suculenta, mas existe outro plantio de variedade chilena, de maior produtividade no verão. “A nossa proposta é ter morango o ano inteiro ”, afirma Vanessa Uliana, filha do casal de agricultores.



Serviço:


Sítio Penhazul

Produção de morango orgânico, hospedagem e artesanato

A 1,3km da Vila de Pedra Azul (pela Igreja Católica) e a 1,5km da entrada do Parque Estadual pela Rota do Lagarto

*Atendimento de domingo a domingo, das 8 às 18h

Tels: (27) 3248-1206 e (27) 9 9945-0932


Sítio Herança

Colhe e pague de morangos

Acesso pelo km 90 da BR-262- Nossa Senhora do Carmo (Pedra Azul)

*Aberto todos os dias, das 8 às 17h

Tels: (27) 3248-1159 e (27) 9 9959-7099


Produtos Ronchi

Morangos, geleias, vinhos, doces e licores

Rod. BR- 262, Km 90- Pedra Azul (Domingos Martins)

*Aberto todos os dias, das 8 às 18h

Tels: (27) 3248-1269 e (27) 8177-8950


Sabores das Montanhas (foto casal)

Compotas, geleias, licores, vinhos e colha e pague de morango

Acesso pelo km 90 da BR-262- Nossa Senhora do Carmo (Pedra Azul)

*Aberto todos os dias, das 8 às 18h

Tel: (27) 9 9940-0167


pube