pube
Geral

Evento apresenta potencial de Cachoeiro para novas culturas agrícolas

por Redação Conexão Safra

em 20/08/2015 às 0h00

3 min de leitura

pube
O cultivo de pimenta do reino será umas das possibilidades mostradas no encontro

Para divulgar as potencialidades agrícolas de Cachoeiro de Itapemirim, a prefeitura, em parceria com o Sindicato Rural, realiza, nesta quinta (20), um encontro no campus do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), em Morro Grande.

Produtores rurais e agricultores familiares estão convidados a participar do evento, que, a partir das 14h, vai abordar opções de culturas para quem quer diversificar a produção.
A ação conta com o apoio do Instituto Capixaba de Pesquisa e Extensão Rural (Incaper), da Coordenadoria do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) e tem o objetivo de criar oportunidades de geração de trabalho e renda no campo. Será uma forma dos produtores saberem mais sobre culturas que se adaptam a Cachoeiro e têm boa aceitação no mercado, como a piscicultura, a produção de pimenta do reino, de palmito e de cacau.

Na programação, palestras vão mostrar como cultivar e as potencialidades para cada uma delas. Segundo o secretário municipal de Agricultura e Abastecimento, José Arcanjo Nunes, a pimenta do reino, por exemplo, tem excelente lucratividade. Cada saca é vendida pelo valor médio de R$ 1.200, e a demanda é muito grande. “O norte do Espírito Santo já despertou para a necessidade desse mercado e já está produzindo ”, afirma.

O cacau e o palmito são outros produtos para os quais existe um mercado crescente, com boa rentabilidade. Eles podem ser plantados consorciados para a recuperação e reconstituição de Área de Preservação Permanente (APP), como Sistema Agroflorestal, em que espécies florestais são plantadas para suprir a necessidade do homem, evitando a degradação das matas remanescentes.

O cacau está sendo comercializado por R$ 470 a saca com 60 kg. Já o palmito varia de R$ 10 a R$ 12 a peça inteira, no mercado local. Outra saída é a piscicultura, já que a produção de peixes de Cachoeiro está sendo insuficiente para atender as demandas das compras governamentais e do mercado interno. A tilápia inteira está custando, em média, no mercado local, R$ 10 o quilo.

O município, atento à necessidade, já desenvolve o Programa Cachoeiro Mais Aquicultura, que oferece assistência técnica e apoio aos agricultores familiares que queiram apostar na iniciativa. Mas a prefeitura ainda vê potencialidades em outras propriedades que ainda não aderiram à ideia.

“Essa é uma importante iniciativa, como forma de oferecer novas oportunidades para o meio rural de Cachoeiro. Com isso, o município poderá ser autossuficiente nesses produtos, contribuindo assim para a melhoria da renda das famílias do campo ”, acredita o secretário José Arcanjo.


Fonte: PMCI

pube