pube
Geral

Diversificação agrícola é alternativa para produtores

Com a crise do café, instituições têm buscado novas opções de trabalho para garantir a sustentabilidade da região

por Redação Conexão Safra

em 20/11/2013 às 0h00

3 min de leitura

Com a crise do café, instituições têm buscado novas opções de trabalho para garantir a sustentabilidade da região


Gabrielle Tallon


Em Iúna e Irupi, os produtores podem contar com o apoio da Cooperativa dos Agricultores Familiares do Território do Caparaó (Coofaci), para desenvolverem suas atividades.


pube

Apesar da cafeicultura ser o carro chefe da economia local, a cooperativa tem buscado alternativas para que os produtores tenham rentabilidade, durante o período de crise do café. Através de uma parceria com o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Iúna e Irupi, há dois anos a Coofaci participa do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), cujo objetivo é levar merenda saudável e de qualidade para as escolas e dar oportunidade de trabalho aos produtores rurais.


De acordo com a presidente da Coofaci, Elisete Almeida de Abreu, o Sindicato organiza os produtores de hortaliças e legumes e elabora a proposta de venda, já a cooperativa é responsável por repassar os recursos para o produtor. “É como se a cooperativa comprasse do produtor e vendesse para a prefeitura, o que é uma forma de fortalecer a agricultura e manter o homem no campo. Além de fornecer uma alimentação escolar mais saudável de forma prática, porque, às vezes, o produtor sai daqui e leva os produtos para a Central de Abastecimento do Espírito Santo (Ceasa), em Vitória, e a Prefeitura tem que ir à Ceasa buscar, nós fazemos isso de forma direta, e o dinheiro circula dentro do próprio município ”, explica a presidente.


Se as iniciativas da cooperativa merecem destaque, quem as promove não pode ficar atrás. A produtora rural também dirige o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Iúna e Irupi há oito anos e revela que, apesar de reconhecer que o homem é fundamental para o desenvolvimento das atividades no campo, a mulher tem conquistado cada vez mais espaço, não só no meio rural, mas no mercado profissional em geral. “Eu sou a segunda mulher na administração da Coofaci e vejo que nós, mulheres, procuramos nos organizar melhor e fazer com que as coisas aconteçam da melhor maneira possível ”, destaca a presidente.


Sobre a Cooperativa


A Coofaci foi fundada em 2005, pela Federação de Associações Comunitárias Rurais de Iúna e Irupi (Faci), diante da necessidade que a instituição tinha de possibilitar que seus associados comercializassem seus produtos com o selo Fairtrade (Comércio Justo).


Como a Faci não podia realizar essa transação, devido à sua estrutura, ela criou a cooperativa (que é habilitada para realizar vendas via Fairtrade), oferecendo aos produtores melhores condições de venda pela certificação, que garante um preço mínimo e ainda gera um prêmio (em dinheiro), proporcional às movimentações, para ser investido na própria comunidade, de acordo com a vontade dos cooperados.


Atualmente, a cooperativa conta com 195 associados, todos pequenos produtoresde agricultura familiar. Interessados em se associar à Coofaci precisam se filiar à Associação Comunitária da sua região. Mais informações em coofaci.com.br.




Liderança feminina:
Elisete Abreu, Presidente da Coofaci, também dirige Sindicato dos Produtores Rurais de Iúna e Irupi

pube