Geral

Aumenta número de Reservas Particulares do Patrimônio Natural no ES

A RPPN é um instrumento de extrema importância para a conservação de locais estratégicos como ecossistemas ameaçados

por Redação Conexão Safra

em 10/03/2014 às 0h00

2 min de leitura

Duas novas Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) foram criadas pelo Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recurso Hídricos (Iema), em 2013. Atualmente, há 41 delas no Espírito Santo, o que totaliza 4.354,77 hectares de Mata Atlântica protegida. Este tipo de reserva é uma Unidade de Conservação privada reconhecida pelo poder público, gravada com perpetuidade a partir de um ato voluntário do proprietário da área.

Por meio do Decreto Estadual 1.633-R (de fevereiro de 2006), o Governo do Estado passou a ter competência para reconhecer essa categoria de reserva privada. Com isso, houve um aumento significativo do número de RPPNs, de quatro para 37, além de uma maior aproximação do poder público com o setor empresarial e com a sociedade civil organizada, contribuindo para uma maior conservação da Mata Atlântica.

Outra iniciativa do poder público com relação à proteção da biodiversidade no Estado foi a assinatura do Decreto Estadual 3384-R de 2013, que deu origem ao Programa Estadual de Apoio e Incentivo às Reservas Particulares do Patrimônio Natural.

pube

A RPPN é um instrumento de extrema importância para a conservação de locais estratégicos como ecossistemas ameaçados, zonas de amortecimento de Unidades de Conservação e/ou mosaicos. Essas reservas colaboram também para a constituição de Corredores Ecológicos, o aumento da conectividade da paisagem e proteção da fauna e flora. Além disso, é uma possibilidade para os que defendem a preservação ambiental de terem suas matas protegidas para sempre.

Mais informações sobre como criar uma RPPN podem ser obtidas no site www.meioambiente.es.gov.br, em Acesso Rápido/Unidades de Conservação/RPPNs.


Fonte: Meio Ambiente




pube