pube
Geral

Alta da mandioca anima produtores de Presidente Kennedy

A produção anual gira em torno de 38 mil toneladas, e as vendas trazem para o município um valor de aproximadamente R$13 milhões por ano

por Redação Conexão Safra

em 24/02/2014 às 0h00

3 min de leitura

Quem tem o hábito de comprar farinha de mandioca, ou o aipim (mandioca mansa) nos mercados, notou que o preço anda bastante salgado. Isso porque o valor do produto mais que triplicou nos últimos meses. Ruim para os consumidores, mas bom para os produtores. Em Presidente Kennedy, que possui a maior produção do Sul do Estado, os agricultores estão animados com a lavoura.

No município litorâneo -, que tem sua economia composta em 80% pela agricultura -, são mais de 1.900 hectares de área plantada com a raiz. Mais de 250 famílias se dedicam a esta cultura, como forma de agricultura familiar. A produção anual gira em torno de 38 mil toneladas, e as vendas trazem para o município um valor de aproximadamente R$13 milhões por ano.

De acordo com o secretário municipal de Agricultura, Josélio Antônio Altoé, há alguns anos o preço da raiz se estabeleceu na média de R$0,14 a R$0,16 por quilo. No mês passado esse valor chegou a R$0,52 (o que encareceu também os derivados, como a farinha, por exemplo). Agora o valor está se estabelecendo em torno de R$0,34 a R$0,35.

pube

Analisando os motivos que causaram tamanho aumento, Altoé elencou quatro fatores que somados resultaram no disparo do preço. “Tivemos nesse período o excesso de chuvas no Sul do país, a seca no Norte, a diminuição gradativa do volume de área plantada e o preço baixo nos últimos anos (que fez com que muitos produtores abandonassem a cultura, reduzindo ainda mais a disponibilidade da raiz no mercado) ”, explicou.


Preço baixo reduz a produção


Em Presidente Kennedy, até 2012, três fábricas de farinha ainda estavam em operação. “Já tivemos até cinco fábricas anos atrás, produzindo variados tipos de farinha, o que conferiu à cidade a fama nessa área. Porém, as dificuldades como o preço baixo da raiz e a escassez de mão-de-obra, fizeram com que elas fechassem, infelizmente. Hoje nós encaminhamos parte da produção para ser processada em Marataízes (20%) e outra para o município fluminense de São Francisco do Itabapoana (80%) ”, disse o secretário de Agricultura.

Segundo um dos diretores da Cooperativa de Agricultores, Oldecyr Batalha, tamanha era a desvalorização que muitos acabaram abandonando mesmo o plantio. “Muita gente desistiu. Eu mesmo cheguei a vender a mandioca por R$0,02, R$0,03 o quilo. O preço estava muito ruim. Isso não dava nem para pagar para o pessoal colher. Com o preço de hoje estamos bastante animados ”, afirmou.


Fonte: Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Presidente Kennedy



pube