pube
Geral

Agroturismo em alta: morangos

por Redação Conexão Safra

em 05/10/2013 às 0h00

4 min de leitura


O Espírito Santo tem conquistado cada vez mais destaque na produção de morango e já se tornou referência nacional, fi cando entre os quatro maiores estados produtores da fruta no Brasil. Com a maior produção de 2011, os irmãos Sérgio e Paulo Ronchi, de Pedra Azul, em Domingos Martins, esperam repetir o feito neste ano e cultivar cerca de 20 toneladas.


Há mais de 30 anos, os irmãos trabalham com a produção in natura, que antes era vendida em feiras livres e nas Centrais de Abastecimento do Espírito Santo (Ceasa/ES), mas, com o aumento no número de turistas que passam pelo local, eles decidiram montar uma loja para comercializar não só os morangos, como também produtos manufaturados como geléias, licores, doces, bombons, etc.


Com uma área de dois hectares destinada à produção, eles esperam uma boa colheita em 2012, a mesma quantidade produzida no período da entressafra do ano passado ou maior do que 20 toneladas. A propriedade, localizada às margens da BR-262, é aberta a visitação dos turistas.


pube

“Comercializamos a nossa produção em uma lojinha na própria fazenda. Quem vem até nós, compra o morango e ainda visita as plantações. Também vendemos produtos feitos a partir do morango ”, disse Sérgio, que é sócio do irmão, Paulo Ronchi.


Na propriedade da família são produzidas as cultivares de morango Camarose, Albion e Uso Grande. Além disso, usam o cultivo protegido e a irrigação por gotejamento.


Paulo, que chegou a vender morangos no asfalto no início da atividade, contou que antes era difícil vender a fruta. “O morango naquela época era novidade e o comércio era difícil. Hoje, tivemos que parar de fornecer para feira para atender os turistas que passam por nossa loja ”, contou.



Produção


As condições de clima e solo da região serrana, a introdução de novos materiais genéticos e a melhoria do nível tecnológico da cultura são fatores importantes na atividade, que tem crescido a cada ano em Pedra Azul. As mudas dos morangos são trazidas de São Paulo e do Chile.


O plantio é feito em março, se não chover. E a colheita é feita de junho a janeiro. “Vamos tentar prolongar até fevereiro, março e, quem sabe, abril. Quanto mais prolongarmos, melhor será ”, ressaltou Sérgio.


Todo o trabalho é feito pelos dois irmãos, que colhem, levam para a banca e lá selecionam a fruta antes de chegar ao consumidor fi nal. “O período de safra começa em meados e junho, e consequentemente, o trabalho também aumenta. Nessa época temos o apoio de nossas esposas. Todo o trabalho aqui é feito em família ”, garantiu Paulo.


Para a safra deste ano foram plantadas 40 mil mudas de morango e, segundo Sérgio, o custo é de R$ 0,50 com cada planta, sem a mão de obra. “Temos uma margem de mais de 100% de lucro. O morango é a nossa principal fonte de renda ”, explicou Sérgio.



Modelo


A propriedade dos irmãos é modelo para outros produtores, mas antes disso, Paulo visitou plantações no sul do país. “Hoje pretendemos trazer mais variedades da fruta. Muita coisa implantamos depois de visitas em outras propriedades. Antes fazíamos quatro fi leiras, e conheci com duas fi leiras e implantamos aqui ”, contou Paulo.


O cultivo castiga bastante o solo e por isso, os irmãos arrendaram uma propriedade vizinha para plantar o morango. “Ainda vamos conseguir fi car mais uns anos aqui, mas depois pretendemos voltar para a nossa propriedade e dar um descanso para esse solo ”, ressaltou. Para completar, eles frisaram que a produção é rentável. “Gostamos do que fazemos. È um trabalho árduo, mas que compensa no fi m. Nossa expectativa é aumentar nossa produção gradativamente e aumentar nossa área de cultivo ”, completou Sérgio.

pube