Geral

Agroecologia e habitação para a agricultura familiar

por Redação Conexão Safra

em 04/10/2013 às 0h00

5 min de leitura

O programa Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (Pais) foi iniciado nos municípios de Iúna e Irupi, no ano passado, por meio da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Espírito Santo (Fetaes) e do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Iúna e Irupi. Ao todo, já são 20 unidades implantadas em propriedades de agricultura familiar dos dois municípios, com recursos do Banco do Brasil (BB) e Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) e, agora, está sendo levado para outras 12 propriedades.


O objetivo do projeto é a produção de alimentos de forma sustentável, integrada com a criação de animais sem a utilização de qualquer agrotóxico. Resumindo, o programa é composto por um galinheiro montado no meio de uma horta &ndash, em forma de mandala, onde o estrume é utilizado como adubo para a plantação e, ao mesmo tempo, parte da própria produção da horta serve para alimentar as galinhas. O agricultor familiar que entra no programa adquire o kit composto de galinheiro, canos, bomba d’água e sementes. Além disso, ele recebe o acompanhamento de técnicos agrícolas.


O projeto tem dado certo, em Iúna e Irupi, e, por isso, mais 12 unidades estão sendo implantadas em propriedades dos dois municípios, sempre com o objetivo de produzir alimentos de alta qualidade, como explica a presidente do STR de Iúna e Irupi, Elizete Almeida de Abreu. E ela esclarece que a qualidade desses alimentos está chegando à merenda escolar dos municípios.


Merenda

pube


O STR, que coordena o Pais na região, segundo sua presidente, trabalhou para que os alimentos produzidos chegassem à merenda escolar das escolas municipais, dentro do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). “Os alunos estão recebendo alimentos saudáveis que não têm qualquer agrotóxico ”, afirma. Segundo Elizete, o projeto é muito importante para a agricultura familiar e vem de encontro aos anseios do Sindicato em trazer a diversificação agrícola. “E isso está sendo possível com a chegada do Pais ”, diz a presidente, que também destaca a importância da atuação dos técnicos agrícolas Lucas Brandão e José Agenor, para o sucesso do projeto.


E o técnico Lucas Brandão enfatiza que os municípios de Iúna e Irupi tem sido referência no Estado, dentro do programa. Segundo ele, isso acontece devido à atuação do Sindicato, que tem sido fundamental para o bom desempenho do projeto, e a dedicação dos agricultores, dentro de um espírito de associativismo e desenvolvimento sustentável


Coordenador do programa destaca compromisso dos agricultores


Em Iúna e Irupi, o programa Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (Pais) é coordenado pelo diretor de Formação e Organização Sindical e Juventude do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Iúna e Irupi, Cleiton Gomes Moreira, que destaca o compromisso dos agricultores com o projeto. Ele enfatiza que boa parte das 20 famílias contempladas com o projeto, no ano passado, já está fazendo a venda dos produtos para as prefeituras, por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), sob a coordenação do STR, em parceria com a Cooperativa da Federação de Associações Comunitárias de Iúna (Coofaci).


O diretor do Sindicato destaca que esta é uma oportunidade para as famílias buscarem outras fontes de renda, o que também deve acontecer com as outras 12 famílias que estão sendo contempladas com o projeto. “E o nosso objetivo é buscar outros mercados para os demais produtores, como as escolas da Rede Estadual e outras entidades ”, afirma.


O agricultor familiar Leonardo da Silva Loze é um dos que foi contemplado com o Pais e foi um dos primeiros a ter o projeto implantado em sua propriedade. “Estou muito animado com programa e tenho me empenhado para a divulgar, porque tem me trazido benefícios ”, afirma. Ele também destaca a importância da parceria com o Sindicato que, segundo disse, foi fundamental.


Programa de habitação rural passa de 100 unidades


Outro projeto que vem sendo tocado pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Iúna e Irupi é o Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR). Segundo a presidente do STR, Elizete Almeida de Abreu, já está sendo implantada a segunda etapa do programa, nos dois municípios, que prevê a construção de 50 unidades habitacionais, na zona rural de Iúna e Irupi, por meio do Banco do Brasil (BB). Outras 50 unidades habitacionais, nos mesmos moldes e dentro do mesmo programa, já estão confirmadas, por meio da Caixa Econômica Federal (CEF). Para participar do programa é preciso ser agricultor familiar e estar enquadrado nas normas do PNHR.


Na primeira etapa do programa, 11 unidades já estão em fase de acabamento, por meio da CEF. E, agora, estão sendo liberados R$ 25 mil por unidade, para a compra de material de construção, o que é feito por etapas. Começando pela base e indo até o telhado colonial, os recursos só são liberados conforme são terminadas as etapas anteriores. As casas possuem 72 metros quadrados, três quartos, banheiro, sala e cozinha conjugada, além de área de serviço coberta, com telha colonial, e fossa séptica por onde passa toda a água e esgoto que sai da casa, antes de chegar ao córrego ou rio que existir no local.


pube