pube
Geral

Agricultura orgânica é tema de excursão em Santa Maria de Jetibá

por Redação Conexão Safra

em 29/03/2016 às 0h00

2 min de leitura

pube
Cerca de 30 agricultores familiares aprofundaram seus conhecimentos sobre o sistema orgânico de produção, principalmente no cultivo de hortaliças, em visitas a duas propriedades agroecológicas e creditadas com o selo de produção orgânica no município de Santa Maria de Jetibá. A atividade foi uma iniciativa escritórios do Incaper de Barra da São Francisco e de Santa Maria de Jetibá e é uma das premissas do projeto de assistência técnica e extensão rural ATER -Sustentabilidade.

Os agricultores aprenderam com as experiências de Selene Hammer Tesch, que atua na área de olericultura, temperos e plantas medicinais há mais de 20 anos, onde 85 culturas ao longo de 2015 ficaram sob sua direção. A segunda visita foi na propriedade do Sr. Gerson Berger, que tem como fonte de renda as hortaliças, o consórcio de café com banana e abacate.

Os participantes contaram com o apoio técnico de profissionais do Incaper de Barra de São Francisco, o engenheiro agrônomo, Edson Pacheco, o técnico agrícola Alexandre Neves Mendonça, o engenheiro florestal Raoni Ludovino de Sá e a administradora rural, Rogéria Almança de Paula. Também contaram com a parceria do agente de extensão rural de Santa Maria de Jetibá, Galderes Magalhães.

Segundo o engenheiro florestal Raoni Ludovino de Sá o principal objetivo foi levar os produtores rurais de Barra de São Francisco a conhecer as histórias e experiências destes agricultores, suas metodologias de trabalho e como o mercado passou a absorver seus produtos.

“Esperamos que com este evento técnico os agricultores familiares consigam aplicar em suas propriedades o conhecimento aprendido, conciliando o ganho econômico, ambiental e social, com produtos de melhor qualidade, mais saudáveis e que possam ganhar mercado até em outros municípios ”, contou Alexandre Neves Mendonça. Segundo ele, a partir destes relatos é possível alavancar o cultivo de alimentos mais saudáveis na região, a melhoria da qualidade dos agricultores e de suas famílias, além de promover a agricultura capixaba.

“Mesmo que os produtores não se tornem orgânicos, acredito que esta excursão serviu para mostrar que há outras formas de produzir. Tenho a convicção que a maioria continuará usando produtos químicos, mas agora com moderação ”, completou Raoni.

Fonte: Governo do Estado do Espirito Santo

pube