pube
Geral

A união e a força do cooperativismo

por Redação Conexão Safra

em 22/07/2015 às 0h00

3 min de leitura

Alissandra Mendes
Cachoeiro de Itapemirim


A DATA É CELEBRADA POR ASSOCIADOS, QUE ENCONTRARAM EM COOPERATIVAS A CHANCE DE AUMENTAR A RENDA FAMILIAR


pube

O cooperativismo é um movimento, filosofia de vida e modelo socioeconômico capaz de unir desenvolvimento econômico e bem-estar social. Seus referenciais fundamentais são: participação democrática, solidariedade, independência e autonomia. Exemplos de união e força que se transformaram em sucesso estão espalhados em vários segmentos: agropecuária,

saúde, consumo, crédito, ensino e transporte.


No Dia Internacional do Cooperativismo as empresas e seus cooperados têm muito que comemorar. No Espírito Santo, são mais de 150 cooperativas, mais de 40 Alissandra Mendes Cachoeiro de Itapemirim somente no sul do estado. Em Cachoeiro de Itapemirim, pequenos produtores rurais se uniram e fundaram a Cooperativa de Agricultura Familiar (CAF-Cachoeiro). Hoje, com 65 associados, eles começaram com 50 agricultores familiares, que constituíam a chamada Associação de Agricultores Familiares de Cachoeiro de Itapemirim (Afaci).


Eles apostaram no cooperativismo com a principal ferramenta para a conquista de novas oportunidades e geração de renda. De acordo com o presidente Leonardo Marcelino Ventura, a data é uma referência para os cooperados. “Como existe o Dia dos Pais, das Mães, o Dia do Cooperativismo também é uma data para refletirmos. Nossa categoria era muito enfraquecida e, depois que nos unimos, fomos conquistando nossos espaços. O cooperativismo não te faz pensar no individual e, sim, no coletivo ”, comentou.


A CAF Cachoeiro foi fundada em 2003 e é filiada à União Nacional das Cooperativas da Agroindústria Familiar e Economia Solidária do Espírito Santo (Unicafes), com o intuito de representar os agricultores na maioria de suas comercializações, além de garantir a representação e a inserção no mercado de grupos, como assentados, quilombolas, mulheres e jovens. Além disso, a cooperativa também é responsável pela comercialização na Feira Livre da Agricultura Familiar. “Os funcionários da Prefeitura recebem um tíquete-feira, no valor de R$ 15,00 por semana, e eles são usados em nossa feira. Isso assegura os funcionários e nós, pequenos produtores ”, explicou Leonardo.


Segundo ele, individualmente, seria impossível acessar o mercado. “Fizemos vários convênios com a Prefeitura e isso só foi possível através da Cooperativa. Sem ela, dificilmente conseguiríamos. A cooperativa nos traz esse fortalecimento ”, completou o presidente. O vice- -presidente da cooperativa é Eber Gomes Vargas e o tesoureiro é Marcos Souza.


Fonte: AQUIES

pube