pube
Anuário 2021

Camarão para todos os gostos

por Rosimeri Ronquetti

em 10/03/2022 às 9h42

3 min de leitura

Camarão para  todos os gostos

São Mateus desponta na produção estadual de camarão. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), elaborados pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), o município produziu, em 2020, 7 toneladas de camarão. Em seguida no ranking aparece Governador Lindemberg com 5 toneladas. 

Diferente de Lindemberg, que produz camarão da água doce, em São Mateus é o camarão marinho a despontar. A extensionista do Incaper e coordenadora do Projeto de Aquicultura Sustentável no Espírito Santo, Lucimary Soromenio Ferri, destaca que o Estado já foi o maior produtor de camarão de água doce do país e agora está começando alguns projetos com camarão marinho nos municípios de Piúma, Fundão e São Mateus.

De acordo com a extensionista, a tendência é dessa produção aumentar. Ela cita algumas vantagens do camarão marinho em relação ao de água doce. “O tempo de cultivo é menor, de três meses apenas, demanda pouco espaço, produz mais camarão por metro cúbico e o sistema de produção demanda menor quantidade de água porque não precisa ser renovada”, ressalta Lucimary. 

Pioneiro em São Mateus, o Projeto Pescado Capixaba, na localidade de Nativo, produz camarão cinza de água salgada (Litopenaeus vannamei), no sistema intensivo com base em bioflocos. Um dos sócios do projeto, Raphael Salazar, diz que os trabalhos ainda estão no início, mas que viram no camarão de água salgada uma oportunidade de mercado, apesar dos desafios. 

“As expectativas são muito boas. Foram meses de pesquisas, informações, cálculos e agora estamos colocando na prática. A nossa previsão é chegar a oito toneladas por mês de camarão, quando tudo estiver funcionando 100%”, destaca Salazar. 

Camarão da Malásia 

Em Governador Lindemberg, município capixaba com maior produção de camarão de água doce, a produção em 2020 foi menor que a do ano anterior. Em 2021, segundo o produtor Telmo Bayer, que apostou no cultivo do camarão da Malásia há quase dois anos, a produção foi cerca de 30% maior que em 2020. “Em 2020, eram retirados cerca de 50 quilos por semana, este ano passou para 60, 70 quilos de camarão por semana. Minha experiência com camarão está sendo muito boa”, garante Bayer. 

As justificativas para o aumento na produção, segundo o produtor, foram as melhorias implementadas no manejo e a água em quantidade adequada. Entre elas: aumento no número de pós-larva por metro quadrado, água em abundância durante todo ano e mudança na distribuição de ração. 

Com sete tanques implantados e previsão de chegar a dez, Telmo continua investindo e já pensa em montar o próprio laboratório de pós-larva. “Já percebi que o investimento vale a pena e vou continuar investindo em melhorias”, conclui.